HERMANO PENNA

HERMANO PENNA

Desde jovem freqüentando grupos de cineastas em Salvador,
em 1966 Hermano Penna agrega-se aos grupos que faziam
cinema em Brasília, mudando-se para São Paulo onde se
dedica a direção de fotografia e roteiros de inúmeros filmes.
Desenvolve a carreira na direção de documentários, vários exibidos
no programa Globo Repórter.
Com seus dois filmes de longa metragem, Sargento Getúlio e
Fronteira das Almas, anteriores a Mario, Hermano Penna reuniu 32
prêmios, em festivais nacionais e internacionais. Dois prêmios têm
especial sabor para o diretor: o prêmio de Melhor Filme em
Gramado para Sargento Getúlio e o de Melhor Filme no III RioCine
para Fronteira das Almas. Um outro prêmio que ele não esquece,
pelo encontro promovido, foi o de Melhor Direção no Festival de
Locarno, dividi-do com Spike Lee. Com uma relação profunda com
a Amazônia, especialmente com Rondônia Hermano Penna
acompanhou de perto toda a saga de ocupação e invasão da
região. Como ele mesmo define, “tenho toda uma história de
cinema com ela, porque a filmei muito, foi pela minha experiência
de Amazônia que escrevi o argumento do filme Iracema, de Jorge
Bodanski”.

Você também pode gostar

JORGE BODANZKY

Em 1964, estudante de arquitetura da UNB, partiu para a Alemanha para estudar fotografia, voltando ao país em 1968, onde participa, como fotógrafo, de vários filmes e documentários. Fotógrafo da

DIRA PAES

Atriz premiada, ganhou o Troféu Candango de Melhor Atriz Coadjuvante, no Festival de Brasília de 1997 por “Anahy de las Missiones” .Ainda como melhor atriz, recebeu em 1996, o Troféu

MARCOS PALMEIRA

Ganhador de importantes prêmios do cinema nacional, como dois Kikitos de Ouro do Festival de Gramado, um como melhor ator no Filme Barrela – Escola de Crimes em 1990, e

0 Comments

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!