ANTONIO PITANGA

ANTONIO PITANGA

Ator e diretor. Estudou na escola de teatro numa época
em que os negros não eram aceitos. Foi exilado durante
a ditadura, quando militava no centro popular de
cultura. Durante o cinema novo, o ator trabalhou muito
em filmes de diretores ligados ao movimento como
carlos diegues e glauber rocha, atuando em clássicos
como “A grande feira” (1961 ), “Barravento” (1962),
“Ganga Zumba” (1964), “câncer” (1968).A convivência com os diretores que faziam
o cinema novo despertou a vontade de dirigir filmes. Em 1978, fez “na boca do
mundo”. Na fase da retomada da produção nacional, atuou em “Como ser solteiro”
(1996),” Mauá – O Imperador e o Rei” (1999), “Villa-Lobos, uma vida de paixão. Mais
recentemente, atuou ainda nos longas-metragens “Apolônio Brasil – O campeão da
alegria” (2003), e “Garotas do ABC” (2004). Em 2006, fez “Zuzu Angel”, de Sérgio
Rezende, cine-biografia da estilista que teve o filho, Stuart Angel, morto pelo
regime militar e, em 2007, fez “O homem que desafiou o diabo” (2007), de Moacyr
Góes. Atuou na novela “Celebridade” (2003), e, mais recentemente na minissérie
Amazônia – de Galvez a Chico Mendes”, em 2007. Além de atuante pela causa
negra nas telas de cinema, é membro do conselho do centro brasileiro de
informação e documentação do artista negro, ONG idealizada pela atriz zezé mota
que tem o objetivo de promover a inserção do artista negro no mercado. Em 2008,
está no elenco da novela “Os mutantes – caminhos do coração”, da Rede Record.

Você também pode gostar

MARINA SILVA

Trazes no sangue a efervescente biodiversidade da Floresta Amazônica. Teu coração desenha-se no formato do Acre e em teus ouvidos ressoa o grito de alerta de Chico Mendes. Corre em

0 Comments

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!