FESTCINEAMAZONIA ITINERANTE 2015 NO VALE DO GUAPORÉ

FESTCINEAMAZONIA ITINERANTE 2015 NO VALE DO GUAPORÉ

Por Texto: Felippe Jorge Kopanakis – Fotos: Gavin Andrews


 

A expedição que levou o FestCineamazonia Itinerante 2015 – Vale do Guaporé, que tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Lei Rouanet, apoio cultural da Prefeitura de Porto Velho, através da Funcultural, Fundação Cultural de Porto Velho, Sema, Secretaria Municipal do Meio Ambiente e IPHAN. O Festcineamazônia é membro do Greenfilm Network e do Fórum dos Festivais, a navegar os cerca de 1.250 Km subindo os Rios Mamoré e Guaporé, na divisa do Brasil com a Bolívia, no Estado de Rondônia, entre os dias 03 a 22 de julho de 2015, foi uma viagem que levou além de cinema, cultura e arte cênica a centenas de ribeirinhos.

Foram ao todo 2.370 Km entre rios e rodovias em 20 dias. Cidades, quilombos e comunidades bolivianas e brasileiras ao longo dos rios receberam o FestCineamazonia Itinerante 2015 – Vale do Guaporé com extrema hospitalidade, confraternização e festa. No lado da Bolívia foram exibidos o cinema e o circo em San Lorenzo (06/07), Buena Vista (10/07), Versales (13/07), Mategua (15/07), Cafetal (18/07) e Remanso (19/07). No Brasil a expedição começou em Guajará Mirim (03/07), navegando ainda por Surpresa (07/07), Forte Príncipe da Beira (09/07), Costa Marques (11/07), Quilombo Santo Antonio (12/07), Quilombo Pedras Negras (14/07), Porto Rolim (16/07) e terminando na cidade de Pimenteiras (21/07).

Em todas as 14 localidades onde o FestCineamazonia Itinerante 2015 – Vale do Guaporé foi apresentado algo que une as pessoas: a vida em função dos rios. Toda uma cultura construída ao longo dos anos, passada de geração a geração com o cuidado e o apreço pela terra, pelo cuidar da natureza para que ela não saia de cena. Ao mesmo tempo, nenhum dos locais é igual ao outro. Navegando por rios amazônicos como o Mamoré e o Guaporé, que ao longo da história serviram de caminhos para a conquista do vasto território brasileiro e para a expansão das fronteiras econômicas, nenhum local é igual ao outro. Não há, na natureza exuberante percorrida e nas pessoas que conhecemos ao longo do caminho nada parecido com o outro. Cada local é diferente, cada cultura com suas características próprias.

O FestCineamazonia Itinerante 2015 – Vale do Guaporé levou cinema e circo a comunidades que tem a história do homem americano a seus pés com os seus achados arqueológicos, outras em que bichos e homens convivem de forma harmoniosa, locais onde a construção de barcos é a cultura que move a economia, postos militares, regiões de turismo de pesca. Ou locais onde a história do Brasil se impõe aos olhos, com os descendentes de quilombolas em suas comunidades erguidas em posições estratégicas ou a majestosa imponência de um forte no meio da floresta.

São histórias de pessoas e comunidades que constroem não um, mas dois países, vizinhos e irmãos, que ao mesmo tempo cuidam do ambiente e dos rios, mas também são impactados por obras construídas, às vezes, não em seus locais de moradia, mas a dezenas ou centenas de quilômetros e recebem, com cautela e esperança, a chegada de novos processos econômicos que estão ali, a sua beira.

No lado boliviano obras de infraestrutura urbana implementadas pelo governo do presidente Evo Morales trazem alegria e esperança de dias melhores: serviço de coleta, tratamento e distribuição de água – item escasso e vital às populações ribeirinhas, apesar da imensidão das aguas, telefonia, carreteras pavimentadas ligando ao interior do país.

No lado brasileiro, a presença da chegada da nova fronteira agrícola, com o gado e a soja avançando sobre a terra virgem, gerando os conflitos agrários, trazendo nova gente, nova cultura. Entre os dois lados, os rios, barrados a jusante, alterando os processos a montante, afetando todo um ciclo natural conhecido há décadas.

O FestCineamazonia Itinerante 2015 – Vale do Guaporé exibiu mais de 20 horas de filmes e apresentação circense ao longo dos rios, produziu filmes com as crianças das comunidades ensinando a arte do audiovisual, reviu amigos, levou pessoas de carona para suas casas, ganhou presentes, permutou conhecimentos, se encantou com um céu exibindo a Via Láctea em todo o seu esplendor.

Levando o FestCineamazonia Itinerante 2015 – Vale do Guaporé o barco E.Canuto e sua tripulação experiente, sábia e conhecedora de cada meandro, cada estirão, cada árvore ao longo do caminho como se fossem placas orientadoras de direção em uma via expressa. Mapeou os rios com a equipe, zarpou na voadeira para encontrar outros lugares.

Histórias, lendas, fatos e relatos serão apresentados esta semana para que todos possam conhecer ainda mais está região, para navegar junto com a equipe do FestCineamazonia Itinerante 2015 – Vale do Guaporé para que não nos esqueçamos que a natureza, não pode sair de cena.

O Festcineamazônia Itinerante 2015 tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Lei Rouanet, apoio cultural da Prefeitura de Porto Velho, através da Funcultural, Fundação Cultural de Porto Velho, Sema, Secretaria Municipal do Meio Ambiente e IPHAN.

O Festcineamazônia é membro do Greenfilm Network e do Fórum dos Festivais.

Você também pode gostar

ACRE RECEBE FESTCINEAMAZONIA ITINERANTE 2012

Um mastro com mais de 50 metros de altura tremula a bandeira do Acre. Foi este o espaço escolhido para a ralizaçao do Festcineamazonia Itinerante 2012. O calçadão da Gameleira,

REMANSO-BOLÍVIA CASA CHEIA DURANTE AS APRESE...

Faltou pouco para que os 500 moradores do distrito boliviano de Remanso comparecessem em totalidade à apresentação do Festival de Artes Integradas-Festcineamazonia Itinerante. A noite com música, circo, poesia e

EXPEDIÇÃO FESTCINEAMAZÔNIA LEVA MÚSICA, P...

“Estou esperando o calor tropical que ainda não veio”. Em tom de brincadeira o escritor português José Luís Peixoto reclamava da baixa temperatura de frios cortantes na cidade boliviana de

0 Comments

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!