Vista fica mais alegre com Cineamazônia em Abunã

Nesta quarta-feira (18), a itinerância do Cineamazônia 2016 chegou à metade do caminho, percorrendo as estradas no meio da Floresta Amazônica. No sétimo dia de jornada levando cultura e arte para comunidades distantes dos grandes centros, a caravana chegou a Vista Alegre de Abunã e teve a participação mais alegre e animada até aqui.

Com um público com muitos adolescentes e crianças, o ginásio da escola municipal Maria Casaroto Abate ficou lotado com a garotada interagindo com todos os filmes da sessão. A animação por parte do público com os curtas exibidos, só não foi maior que o momento em que os palhaços peruanos Figurita e Aguahito chegaram.

Os artistas aproveitaram a animação das crianças para fazer brincadeiras mais interativas com o público. A ‘dança das cadeiras’ foi a que mais animou o público e levou a plateia a torcer pelos participantes.

Para o construtor Milton Ribeiro da Silva, de 42 anos, levar os filhos Milton Jr., Marliana e Marliane, para o Cineamazônia já é uma tradição. “Eu moro aqui em Vista Alegre de Abunã há dez anos e sempre trouxe os meus filhos. Como aqui não tem muitas atrações para as crianças, elas gostam muito, principalmente por causa dos palhaços’, diz.

Cineamazônia Itinerante 2016 tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Lei Rouanet. Apoio Cultural da Prefeitura de Porto Velho, através da SEMA e FUNCULTURAL.

Você também pode gostar

BELÉM RECEBE HOJE FEST CINEAMAZÔNIA ITINERA...

A capital paraense, Belém, recebe nesta segunda-feira (15/03), a mostra itinerante do Festival de Cinema e Vídeo Ambiental da Amazônia – Fest Cineamazônia 2010. A primeira exibição ocorreu as 9h30,

SAO CARLOS RECEBE FESTCINEAMAZONIA ITINERANTE...

Durante quatro dias da semana passada, estivemos participando do Fest Cineamazônia através do Projeto Itinerância nos distritos do baixo Madeira São Carlos, Nazaré e Calama. Nossa participação atendeu o convite

EXPEDIÇÃO FESTCINEAMAZÔNIA LEVA MÚSICA, P...

“Estou esperando o calor tropical que ainda não veio”. Em tom de brincadeira o escritor português José Luís Peixoto reclamava da baixa temperatura de frios cortantes na cidade boliviana de

0 Comments

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!