Ailton Krenak, militante das causas indígenas, é homenageado no Cineamazônia

img_4877Foi como se tivesse sido uma grande aula de vida. A homenagem feita pelo Cineamazônia ao militante das causas indígenas Ailton Krenak transformou-se num momento de crítica ao atual momento da vida política do Brasil e, principalmente, um manifesto pelo respeito à diversidade, à identidade e ao meio ambiente. Ailton Krenak recebeu o troféu Mapinguari em Porto Velho no último dia 24 como parte da programação da 14ª edição do Cineamazônia, festival latino-americano de cinema ambiental.

Um dos grandes momentos da homenagem feita à liderança indígena ocorreu quando foram exibidos trechos do histórico discurso de Ailton Krenak na Comissão Constituinte em 1987. Na ocasião, um ainda jovem Krenak falou emocionado que a Constituição de 1988 seria um retrocesso para os índios, enquanto pintava o rosto de negro, como luto.

Krenak reviu essas imagens de forma emocionada. Lamentou que muita coisa ainda esteja por ser feita. Um exemplo lembrado na cerimônia foi que até agora, a atual presidência não sinalizou a escolha de um novo presidente para a Funai, que está sem comando.

Logo depois das imagens exibidas no telão, o ator Marcos Winter repetiu o gesto de Krenak e pintou o rosto de branco, enquanto anunciava o homenageado.

“Esse índio brasileiro traz no sangue e na pele a marca dos que acreditam que as grandes revoluções podem ser alcançadas com sabedoria, serenidade, confiança e generosidade. Sem perder a ternura”, destacou Winter ao apresentar Krenak.

Cineamazonia, 14a EDIÇÃO, tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Lei Rouanet. Apoio Cultural da Prefeitura de Porto Velho, Sejucel e Unir – Universidade Federal de Rondônia.

 

Você também pode gostar

Vista Alegre recebe caravana do Cineamazônia...

Logo no dia seguinte, na terça-feira (08), o Cineamazônia Itinerante seguiu para Vista Alegre do Abunã, cidade com pouco mais de 4 mil habitantes e distante 260 quilômetros da Capital,

A PRIMEIRA VEZ NÃO SERÁ ESQUECIDA

É um tempo diferente o que cerca a comunidade que vive na Reserva Extrativista Rio Ouro Preto, entre os municípios de Guajará-Mirim e Nova Mamoré, em Rondônia. Guiados pelo rio

EMBAIXADA AMERICANA E TV RONDÔNIA LEVAM EXPO...

Painéis com citações dos diários dos desbravadores Rondon e Roosevelt de 1914-1915, além de  fotografias cedidas pelo Museu do Índio do RJ, pela Biblioteca do Museu Americano de História Natural

0 Comments

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!