Cineamazônia Itinerante fecha a primeira etapa em Jacy-Paraná

O Cineamazônia Itinerante encerrou o último dia de atividades da primeira etapa na Escola Tiradentes da Polícia Militar, em Jacy-Paraná, na tarde da segunda-feira (14). Mesmo com a rotina de estudos intensos, as crianças e adolescentes participaram ativamente das projeções de filmes e do espetáculo do palhaço Cloro.

Muitos misturaram surpresa com muitas gargalhadas tanto no auditório, local da exibição dos curta metragens, quanto na quadra poliesportiva, lugar da performance do artista argentino Diego Gamarra.

A visita do festival foi avaliada com alegria pelos alunos. Para Flávia Amorim, de 13 anos, tanto a apresentação do palhaço quanto os filmes chamaram a atenção. “É difícil ver esses tipos de filmes e de apresentações de circo em nossa cidade, muito menos na escola. Sempre estudamos muito, mas é bom ter esse momento de descontração com os colegas”, apontou ela.

Para a coordenadora do Cineamazônia, Fernanda Kopanakis, é importante haver uma integração entre cultura, arte e educação. “A gente sempre prioriza essa junção do cinema com a educação”.

Esta foi a última apresentação desta etapa do Cineamazônia Itinerante 2017. Ao todo, foram 12 localidades visitadas em 12 dias e mais de 2.200 quilômetros percorridos entre Peru, Acre e distritos de Porto Velho, levando a arte e cultura a alguns dos lugares mais esquecidos da Amazônia, passando por comunidades que nunca tiveram uma sala de cinema.

Agora, daqui a uma semana, a caravana já se prepara para a segunda etapa da itinerância, que será realizada entre os dias 23 de agosto a 12 de setembro, quando o projeto trocará a estrada pelo Rio Guaporé, de Guajará-Mirim até Cabixi, no Cone Sul.

A 15ª edição do Cineamazônia tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual e da Lei Rouanet. Ainda tem o apoio cultural da Sejucel, Funcultural, Fecomércio e SESC Rondônia. O Cineamazônia é associado ao Fórum dos Festivais e membro do Green Film Network.

Texto: Felipe Corona

Fotos: Beethoven Delano

Você também pode gostar

FESTCINEAMAZÔNIA: PRESENTE EM HUMAITÁ

Existem pelo menos cinco explicações para a origem do nome Humaitá. Poucos municípios brasileiros possuem tantas versões para o próprio batismo, como a cidade localizada ao sul do Amazonas. Pedra

FESTCINEAMAZÔNIA ITINERANTE REALIZA APRESENT...

O Festcineamazônia foi criado na Amazônia brasileira em 2003 Por Sérgio Carvalho Foto de Eder Medeiros Após uma curva de Rio Guaporé e parte da manhã navegando, no começo da

CINEAMAZÔNIA PROMOVE ENCONTRO ENTRE MÚSICA ...

O nome causa surpresa, mas dá uma pista da intenção do filme. ‘Xingu Cariri Caruaru Carioca’, da diretora carioca Beth Formaggini, utiliza a música para contar uma história que fala

0 Comments

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!