Iata recebe Cineamazônia Itinerante mais uma vez

O distrito do Iata, distante cerca de 30 quilômetros de Guajará-Mirim, recebeu mais uma edição do Cineamazônia Itinerante na noite do sábado (26), na praça em frente a escola Gaspar Dutra.

Foram exibidos vários filmes curta metragens nacionais e estrangeiros. A coordenadora do Cineamazônia, Fernanda Kopanakis, falou sobre a troca das estradas de asfalto e chão pela de água, no caso, o Rio Guaporé, aonde o projeto vai até Cabixi. “A partir da próxima segunda-feira, dia 28, começamos uma grande jornada pelo Rio Guaporé, onde vamos trocar as estradas pelos caminhos de água até Cabixi, levando cinema, arte e cultura até o dia 12 de setembro. Com isso, fechamos todo esse arco do nosso estado, já que estivemos em todos distritos de Porto Velho, e agora, vamos até a região do Cone Sul”, disse ela.

O senhor Aluízio Lucas Caetano, morador há mais de 30 anos de Iata, teve seu depoimento exibido na telona do cinema, após participação de iniciativa do Cineamazônia, chamada de Museus Vivos. “Agradeço a equipe do Cineamazônia que me deu a oportunidade de contar um pouco da minha história e de tudo o que passamos aqui no Iata. Fiquei muito feliz em ver esse resultado”.

O representante do BNDES, Vinícius Cunha, destacou o trabalho feito pelo Cineamazônia nas comunidades mais distantes da região ao longo de sete anos de parceria, tempo que o Banco Nacional de Desenvolvimento patrocina o projeto. “Gosto de ir a lugares distantes dos grandes centros nacionais. O Cinemazônia dá oportunidade às pessoas que moram em pequenas comunidades assistirem filmes de excelente qualidade e de se divertirem com um grande espetáculo de circo”, apontou ele.

Por fim, Eliana Cardoso, estava muito satisfeita com mais uma ida do Cineamazônia até o distrito histórico, que já foi uma importante parada da lendária Estrada de Ferro Madeira Mamoré (EFMM). “Como vocês podem ver, nossa cidade é muito pequena e não tem muitas opções de divertimento (sic). Mas, os filmes e o palhaço divertem a garotada e os adultos. Gostei muito e queria que vocês voltassem todos os meses”, falou ela às gargalhadas.

Mais Cineamazônia

O Cineamazônia Itinerante continua a segunda etapa do projeto, com a exibição de filmes e apresentações circenses com o palhaço Cloro em 15 localidades no Vale do Mamoré e ao longo do Rio Guaporé até o dia 12 de setembro, quando encerrará suas atividades em Cabixi, no cone Sul do estado.

A equipe do Cineamazônia irá até comunidades ribeirinhas e quilombolas, reservas extrativistas, tanto do lado brasileiro como do lado boliviano. As primeiras apresentações serão feitas na estrada, como ocorreu na primeira etapa da itinerância.

Serão alternados municípios e localidades rondonienses e bolivianas. San Lorenzo na segunda-feira (28) e Surpresa na terça (29) serão as primeiras localidades a receberem o projeto após a passagem por terra.

A 15ª edição do Cineamazônia tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual e da Lei Rouanet. Ainda tem o apoio cultural da Sejucel, Funcultural, Fecomércio e SESC Rondônia. O Cineamazônia é associado ao Fórum dos Festivais e membro do Green Film Network.

Texto: Felipe Corona

Fotos: Beethoven Delano.

Você também pode gostar

Poesia portuguesa em Rondônia

José Luiz Peixoto, um dos mais premiados escritores portugueses, participa da mesa ‘É de poesia que o mundo precisa’, na programação do Cineamazônia 2016 Brasil e Portugal deveriam ser mais

FESTCINEAMAZÔNIA ITINERANTE EMOCIONA GUAJAR...

“Iluminem o trem, iluminem o trem!”. O velho considerado louco entra em cena sem ser convidado e participa inconscientemente da apresentação do palhaço Martin Martinez. Ganha risos e aplausos enquanto

CINEMA NO CIRCO MARCA A VOLTA DE XUXU A PORTO...

Ator Luiz Carlos Vasconcelos reencena espetáculo Silêncio Total na capital, junto a exibição de filmes em bairro da periferia de Porto Velho Ele está de volta e pede silêncio total.

0 Comments

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!