FESTCINEAMAZÔNIA ITINERANTE NAS MONTANHAS GELADAS DO PERU

FESTCINEAMAZÔNIA ITINERANTE NAS MONTANHAS GELADAS DO PERU

Se Cusco está a quase 4 mil metros acima do nível do mar, a comunidade de Amaru – povo contemporâneo dos Incas – vive a 4,3 mil. é um frio de lascar! Contam os historiadores locais que os dois povos andinos eram rivais, especialmente em disputas culturais, perpassando pela agricultura, confecção de artefatos e estratégia de guerra. Sinais nítidos dessa competitividade, seria a preocupação de cada etnia em se manter fiel a sua cultura e costumes, desde 5 mil anos aC. Polêmicas à parte, o Peru andino é uma região única recheada de exotismo e mistério.

Os andinos destinam há milênios a planície para a agricultura e a criação de um rebanho de subsistência formado principalmente por lhamas e alpacas, alimentação básica das diversas etnias locais, guarnecida por mais de 3 mil espécies de batatas, outras tantas de milho e condimentos.
Foi na quarta-feira (9), em Amaru, a penúltima atividade do FestCineamazônia Itinerante em terras peruanas. Mais de duzentos estudantes e a comunidade em geral deram forte ressonância à mostra de filmes e à peculiar performance do Palhaço Xuxu, personagem do ator Luiz Carlos Vasconcelos, que já atuou em dezenas de filmes e seriados de televisão, mas é ao Xuxu por quem ele diz ter especial carinho.
A grata surpresa lá no alto da montanha Amaru foi a resposta retumbante da comunidade, como eco ao que propõe o Festival, com relação ao comportamento do homem diante da natureza. Todo grupo está afinado com a causa: eles demonstram profunda preocupação com a integridade ambiental e do seu povo.
Por meio da poesia, canto, teatro e dança, os Amarus deixam claro porque preservam de geração em geração cultura e costumes milenares, respeitando a natureza, Em Quechua – língua também falada pelos Amarus – meninos e meninas demonstraram, através da arte, que querem um mundo melhor, mais justo e fraterno preservando rios, florestas e a cultura dos povos. “Temos que cuidar dos rios, preservar as matas e os animais; temos que parar de criar tanto lixo por conta do consumo pelo consumo”, são frases ecoadas nas canções, na poesia e na arte cênica pelos alunos da Instituição Educativa Amauta de Quello Quello – Pisac.
IMG_3650
Espetáculo à parte
A geografia diz que a Cordilheira dos Andes se estende desde a Venezuela até à Patagônia , atravessando o continente sul-americano , compondo a  paisagem do Chile, Argentina, Peru, Bolívia, Equador e Colômbia.
Informa ainda que, nos territórios da Colômbia e da Venezuela, a cordilheira se ramifica e se prolonga até quase alcançar o Mar do Caribe . Em sua parte meridional serve de longa fronteira natural entre Chile e Argentina. A parte mais larga, o Altiplano, é partilhado pelo Peru, Bolívia e Chile. As fontes especializadas nos revelam ainda que a cordilheira volta a estreitar-se no norte do Peru e se alarga novamente na Colômbia para estreitar-se e dividir-se ao entrar na Venezuela.
Este é o mapa oficial de uma das maravilhas naturais da Terra. Mas os peruanos consideram o seu quinhão privilegiado. Além do frio intenso, numa altitude próxima a 5 mil metros, contemplar os picos congelados dos Andes peruanos envolve a todos num mistério impar. E se os raios do sol refletem na cadeia de montanhas, o espetáculo provoca espanto a qualquer mortal.
A trupe intrépida desce as montanhas geladas no sábado (12) para a última atividade da Itinerância-2011 peruana na cidade de Ibéria, já na divisa com o Brasil. “Apesar do cansaço e de alguns componentes da equipe sentirem um ligeiro mal-estar por conta da altitude e do frio, podemos considerar que mais uma vez o FestCineamazônia cumpriu o papel de expandir fronteiras em nome da arte”, diz o coordenador Jurandir Costa.
O FestCineamazônia Itinerante tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal, Ministério da Cultura, Ministerio das Relações Exteriores,  Secretaria do Audiovisual,através da Lei Rouanet, Governo de Rondônia, SECEL – Secretaria da Cultura Esporte e Lazer. O apoio cultural é do Iphan, Fórum dos Festivais, Instituto Nacional de Cultura do Peru, INC e Prefeitura de Porto Maldonado.
equip-pisaq_MG_7394
Previous FESTCINEAMAZÔNIA DIVULGA ROTEIRO DE ITINERÂNCIA NO PERU
Next EM CLIMA DE ELEIÇÃO, PUERTO MALDONADO VAI AO CINEMA

Você também pode gostar

ÁFRICA CABOVERDIANA RECEBE FESTCINEAMAZONIA ITINERANTE

Na aproximação de línguas e culturas promovidas pelo Festcineamazônia Itinerante com países de língua portuguesa, mais uma vez Cabo Verde receberá as atrações do festival. As atividades ocorrem neste sábado,

COM VOCÊS, PALHAÇO TITETÊ – QUANDO A FILOSOFIA E A PALHAÇADA SE ENCONTRAM

Os encontros felizes são os verdadeiros encontros Por Sérgio Carvalho Foto de Eder Medeiros Paletó preto – cheio de surpresas, desajeitado, minúscula cartola de lantejoulas cintilantes na cabeça. Voz estridente

Cafetal e Laranjeiras: arte e cultura nas duas margens do Guaporé

TEXTO: ISMAEL MACHADO FOTOS: ZECA RIBEIRO EDIÇÃO: LUI MACHADO O posto militar de Cafetal, na Bolívia, faz parte da história recente do país. Foi nele que o atual presidente Evo