GUAJARÁ MIRIM É O PONTO DE PARTIDA DA ITINERANCIA 2013 DO FESTCINEAMAZÔNIA

GUAJARÁ MIRIM É O PONTO DE PARTIDA DA ITINERANCIA 2013 DO FESTCINEAMAZÔNIA

Com uma população de mais de 40 mil habitantes e um dos municípios de maior atrativo turístico e histórico de Rondônia, Guajará Mirim será o primeiro a receber a etapa Amazônia 2013 do Festival de Artes Integradas-Festcineamazônia Itinerante. Música, circo, cinema e literatura integram o cardápio cultural da programação de hoje a noite, na Praça dos Pioneiros da Estrada de Ferro Madeira Mamoré, conhecida pelos moradores de Guajará como ‘A Praça do Trem’.

De certa forma é um encontro multicultural, unindo no mesmo espaço o músico amazônico Bado, o artista de circo argentino Martin Martinez, o poeta português José Luiz Peixoto e a seleção de curtas do Festcineamazonia, que engloba várias regiões brasileiras.

Agora fazendo parte do circuito de Artes Integradas, o Festcineamazônia Itinerante amplia ainda mais o leque de locais a serem alcançados. No total, em 2013 percorrerá cinco países e contemplará mais de 20 cidades com cinema, circo e música, mantendo o foco inicial de sempre estar em comunidades com dificuldade de acessos formas diferentes de arte. “Nesses locais a presença do Festcineamazonia Itinerante sempre é aguardada, onde a arte circense, do cinema, é sempre novidade”, diz Jurandir Costa, um dos organizadores do Festcineamazônia. Os países que receberão o festival itinerante são Brasil, Bolívia, Peru, Portugal e Cabo Verde na África, além de cidades do Amazonas e Acre.

A ideia de unir artistas de diferentes vertentes tem sido uma das principais novidades dos últimos eventos produzidos pelo Festcineamazonia. Ao celebrar a diversidade cultural, une pontos que poderiam ser considerados não convergentes ou de realidades opostas.

É o caso do escritor português José Luiz Peixoto. O texto intimista do poeta será levado a comunidades ribeirinhas a partir não só de ‘contação’ de histórias, mas também com a distribuição de um pequeno livro produzido especialmente para essa edição itinerante. Ao conhecer a proposta do Festcineamazonia, Peixoto fez questão de ver de perto a realidade dos rios e estradas amazônicos que se descortinam a cada itinerância.

Será uma programação intensa para os próximos dias. No sábado, 10, a caravana cultural atravessa o rio e vai à cidade boliviana de Beni. A Praça do Cavalo foi o local escolhido para a apresentação cultural. A partir daí, o Festcineamazonia, deixa um pouco a estrada de lado e se aventura pelos rios rondoniense e boliviano. O Vale do Guaporé é o destino. A partir do dia 12 locais como o Forte Príncipe da Beira, Buena Vista, Costa Marques, Quilombo de Santo Antonio do Guaporé, Versalles, Quilombo de Pedras Negras, Mategua, Porto Rolim e Remanso serão contemplados com as atrações da itinerância. A programação encerra dia 25 de agosto em Pimenteiras do Oeste.

O Festival de Artes Integradas – Festcineamazônia Itinerante 2013 tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal através da Lei Rouanet, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, apoio cultural da Santo Antônio Energia e Parceria Institucional da Fundação Banco do Brasil.

Por Ismael Machado/Festcineamazônia – Foto: Avener Prado/Festcineamazônia

Previous FESTCINEAMAZÔNIA ITINERANTE EMOCIONA GUAJARÁ- MIRIM
Next POETA PORTUGUÊS JOSÉ LUIS PEIXOTO NO FESTCINEAMAZÔNIA ITINERANTE

Você também pode gostar

EXTREMA

Após 70 quilometros em uma tranquila estrada de asfalto em direção ao Acre, saímos de Vista Alegre e chegamos a Extrema. Localizada ainda mais na extremidade do estado, Extrema vive,

COSTA MARQUES RECEBE O FESTCINEAMAZONIA ITINERANTE

Remima tem seis anos, Sandriele oito e Elyel dez., Juntas, essas crianças formam o grupo IrmãosTrovão. Remima e Sandriele tocam violão e cantam. Elyela acompanha na sanfona. O repertório passeia

XAPURI-ACRE RECEBE O FESTIVAL DE ARTES INTEGRADAS- FESTCINEAMAZÔNIA ITINERANTE

Durante os períodos conhecidos como “ciclos da borracha”, Xapuri era a principal referência em termos sociais e culturais do Acre  e em outras regiões do país. A partir da década de