XAPURI-ACRE RECEBE O FESTIVAL DE ARTES INTEGRADAS- FESTCINEAMAZÔNIA ITINERANTE

XAPURI-ACRE RECEBE O FESTIVAL DE ARTES INTEGRADAS- FESTCINEAMAZÔNIA ITINERANTE

Durante os períodos conhecidos como “ciclos da borracha”, Xapuri era a principal referência em termos sociais e culturais do Acre  e em outras regiões do país. A partir da década de 1970, o município volta a chamar atenção, devido as denuncias feitas pelo líder sindical Chico Mendes.

Xapuri ficou conhecida internacionalmente pela luta e pela morte do ambientalista Chico Mendes. Após o assassinato de Chico, em Dezembro de 1988, a cidade se tornou um local muito visitado por milhares de pessoas todos os anos, o que fez mudar a rotina tranqüila da cidade.

E foi na comunidade de Seringal Cachoeira que o Festival de Artes Integradas – Festcineamazonia Itinerante fez as apresentações.O lugar foi onde Chico Mendes começou a sua luta de conscientização e preservação ambiental, hoje a comunidade conta com aproximadamente 80 famílias que trabalham no seringal.

Para dar inicio a noite do Festival, o cantor e compositor Acreano Sergio Souto deu um show. No repertório um apanhado das musicas mais representativas de sua carreira, incluindo a música ´´Minha Aldeia“, musica bastante conhecida,  e para muitos um verdadeiro hino Amazônico, e que foi tema da novela da Globo ´ Sinhá Moça“.

A noite teve ainda, a apresentação da atriz, produtora cultural e contadora de historia Karla Martins, que durante seus contos fez todo mundo rir, com suas historias, e também emocionou a comunidade de Seringal Cachoeira com as histórias de Chico Mendes.

O documentário´Soldados da Borracha“ do diretor Cesar Garcia foi exibido durante o festival, o filme  narra a história de quatro seringueiros de diversas origens, e que mostra a trajetória de luta dos soldados da borracha convocados para ajudar os aliados na Segunda Guerra Mundial. Filmado nas cidades de Rio Branco, Plácido de Castro e Xapuri, no Acre, Soldados da Borracha mostrou a trajetória dos ex-seringueiros de diferentes origens. O filme emocionou o publico presente.

O curta-metragem “Awara Nane Putane – Uma história do cipó, dirigido pelo cineasta Sérgio de Carvalho, também foi exibido no local, Awara Nane Putane – Uma história do cipó é um curta-metragem em animação que conta o mito de origem do uso tradicional da ayahuasca, na versão da etnia yawanawa, que vive no coração da floresta amazônica, nas margens do Rio Gregório, no Estado do Acre. O curta é todo falado em idioma yawanawa, povo que pertence ao tronco lingüístico Pano.

O Festival de Artes Integradas-Festcineamazonia Itinerante tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal através da Lei Rouanet, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, apoio cultural da Santo Antônio Energia. Apoio Institucional Fundação Banco do Brasil.

Previous COMUNIDADE QUILOMBOLA DE SANTO ANTÔNIO TEM NOITE ESPECIAL COM O FESTCINEAMAZONIA ITINERANTE
Next CRISTIANE TORLONI

Você também pode gostar

PARCERIA COM UNIVERSIDADE DE COIMBRA EXIBE FESTCINEAMAZÔNIA ITINERANTE

Poucos meses antes de a ONU reunir as maiores lideranças globais na Rio+20, a tradicional Universidade de Coimbra, em Portugal, vai sediar um grande encontro sobre a Amazônia, antecipando temas

Cineamazônia começa nova itinerância por Peru, Acre e distritos de Porto Velho

Em um ano especial, o Festival Latino Americano de Cinema Ambiental – Cineamazônia, chega a sua 15ª edição, e para tanto, tem como uma de suas metas, a compreensão da

CINEAMAZÔNIA ITINERANTE NA ESTRADA

“Vocês deviam vir mais vezes aqui. Não temos quase nada para dar aos nossos jovens. Deus abençoe vocês”. Ombros arqueados, passos vagarosos, sorriso de poucos dentes, Pencha Tamayo, 68 anos,