FESTCINEAMAZÔNIA ITINERANTE REALIZA APRESENTAÇÃO NA COMUNIDADE BOLIVIANA DE BUENA VISTA

Após uma curva de Rio Guaporé e parte da manhã navegando, no começo da tarde do dia 14 de agosto, o batelão “Pato Selvagem” que leva a equipe do Festcineamazônia Itinerante, chega na comunidade de Buena Vista, nas margens bolivianas: uma fileira de altas palafitas coloridas e desbotadas, que contrasta com um céu de azul intenso de meio dia e uma areia fina e branca. Separadas por um braço do rio, constantemente cruzado por catraias, pequenas embarcações e biguás, fica localizada a cidade brasileira de Costa Marques, uma espécie de capital da região.

A pequena Buena Vista é um corredor cumprido de lojas, os cômodos da palafita se ligam, em um labirinto. Um concentrado de comércios, dos mais diversos. Vende-se de tudo, eletrônicos, roupas, gêneros de higiene pessoal, perfumes importados, bebidas dos mais diversos tipos, pilhas, redes, brinquedos, caixas de som em formato de latinha de cerveja, de carro ou com design de rádios antigos. Pen drives, caixas térmicas e artigos para pesca.

Ainda naquela tarde, Rodolfo Minari e o palhaço Titetê fizeram um pequeno cortejo com as crianças do lugar, entre corredores, artigos pendurados, comerciantes e consumidores, o violãozinho de Rodolfo guiou as crianças, encantadas, com a arte que lhes convidava para uma noite especial, fugindo da monotonia do lugar, que tem suas luzes apagadas as 22h.

Naquela noite, durante o espetáculo do Titetê, com seu estrondoso bordão, em um portunhol desajeitado, por isso engraçado: “Guapoooo”.  Ao ouvir as singelas e poéticas músicas do Rodolfo Minari: Um ovo dentro do ovo tem um barulho querendo nascer. O filme ingênuo, chapliniano, do rondoniense Pistolino. Naquele cenário de palafitas coloridas, areia branca, estrelas e crianças, tantas delas, rindo de maneira tão verdadeira. Inclusive os adultos, a maioria vendedores, de risos tão soltos, largos. A plateia, de aproximadamente 80 pessoas, entregou-se, encantada, ao espetáculo.

O encerramento desta primeira etapa pelo vale do Guaporé será no dia 25 de agosto na cidade de Pimenteiras, Brasil.  No início de setembro o Festcineamazônia Itinerante começa o trajeto da Estrada do Pacífico, passando por cidades amazonense, acreanas, bolivianas e peruanas, na tríplice fronteira do Acre.

O Festcineamazônia Itinerante tem o patrocínio do BNDES, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Lei Rouanet, apoio cultural da Fundação Saramago e Iphan. Parceiros de Mídia Rádio Parecis FM e Canal Brasil. O Festcineamazônia é membro do Green Film Network e Fórum dos Festivais.

Previous FORTE PRÍNCIPE RECEBE O FESTICINEAMAZÔNIA ITINERANTE
Next FESTCINEAMAZÔNIA ITINERANTE CHEGA EM SANTO ANTÔNIO

Você também pode gostar

FESTCINEAMAZONIA, UMA NOITE DE SURPRESA EM PORTO ROLIM.

Ao final da última poesia, o escritor português José Luís Peixoto diz que há uma pequena surpresa para o público. Ladeado pelo cantor e violonista Bado e pelo palhaço Martinez,

FESTCINEAMAZÔNIA ITINERANTE EM IÑAPARI NO PERU

A cidade peruana de Iñapari, localizada na fronteira com o município acreano de Assis Brasil e com o departamento de Pando, na Bolívia, formando a tríplice fronteira Peru, Brasil e

CINEMA E HISTÓRIA

Festcineamazônia Itinerante se apresenta em Abunã, palco de filmes sobre a ferrovia Madeira Mamoré, hoje área atingida pela usina Jirau