COMEÇOU A MOSTRA COMPETITIVA DO FESTCINEAMAZONIA 2015

COMEÇOU A MOSTRA COMPETITIVA DO FESTCINEAMAZONIA 2015

Ao todo, foram apresentados oito filmes da competição. “Escola vai ao cinema” e “Cinema no Bairro” completaram a programação

Para os trinta e cinco candidatos ao troféu Mapinguari, o Festcineamazônia começou hoje, com o início da mostra competitiva. Ao todo, oito produções, entre curtas, médias e longas metragens foram exibidos, sendo metade às 14h e metade às 20h, no Teatro Sesc Esplanada. ?Escola vai ao cinema? e ?Cinema no Bairro? completaram a programação desta quarta-feira (07).

A noite começou com música, com o mestre de cerimônia Rodrigo Lima cantando a bela e eterna canção ?Força Estranha?, eternizada na voz de cantores como Gal Costa, Roberto Carlos e Caetano Veloso. Em seguida mais um discurso forte sobre a preservação ambiental. Dessa vez, o alvo foi a forma insustentável com que os governos historicamente têm tratado o desenvolvimento da região amazônica.

O primeiro filme da noite não saiu das mãos de diretores profissionais, mas das de alunos da escola municipal Duque de Caxias. A animação ?Queremos um trânsito melhor? saiu do projeto ?Animando na Amazônia?, criado pelos próprios estudantes, com a direção e supervisão de Chrystiann Ritse. Mesmo com a dificuldade causada pela limitação do transporte coletivo, o Teatro Sesc Esplanada ficou repleto de pais e colegas, que, naturalmente, aplaudiram muito o curta-metragem.

Logo depois, foi a vez do público conhecerem os jurados, Marcelo Cordero, Vinícius Fernandes da Silva, Suzana Amado, Leopoldo Nunes e Mara Paraguass. Eles terão a missão de escolher os melhores filmes nas categorias Documentário, Ficção, Animação e Experimental, nos formatos de curta, média e longa-metragem. Quem também subiu ao palco foi André Cran, finalista na categoria Ficção, com o filme ?Ele?!?, um dos cinco representantes de Rondônia no festival.

Além de ?Ele?!, a programação da mostra competitiva também contou com a animação carioca ?Até a China?, de Marão; o documentário ?Crack ? repensar?, de Felipe Crepker e Rubens Passaro (SP) e ?Jaci: Sete Pecados de Uma Obra Amazônica?, de Caio Cavechini e Carlos Juliano Barros (SP).

Mais cedo, às 14h, o público pode acompanhar os documentários ?Meia Hora e as manchetes que manchete?, de Rafael Jardim (BA); ?Marcatti?, de Sálvio leite e Arthur B. Senra (MG); ?Bikes vs Cars?, de Fredrik Gertten (SUI) e a ficção Estranhos, de Paulo Alcântara (BA).

Paralelo à sessão do teatro, também foi exibido, no campo da Associação dos Amigos (Amas), no bairro Nova Esperança, o documentário ?Amazonas, o Jogo da Bola?, de Chicão Fill. O documentário de 80 minutos narra a história do Futebol no Amazonas e seu pioneirismo, desde o primeiro registro no Brasil de um jogo de bola, no século XIII. A história chega até o momento atual, com a construção ? e toda a polêmica envolvida durante a mesma ? do Estádio Arena da Amazônia, palco de jogos da Copa do Mundo de 2014.

O Festcineamazônia 2015 tem o patrocínio do BNDES, Petrobras, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Lei Rouanet, apoio cultural da Prefeitura de Porto Velho, Funcultural, Governo de Rondônia através da SEJUCEL, Sesc Rondônia, Iphan. O Festcineamazonia é membro do Greenfilm Network e do Fórum dos Festivais.

Previous HOMENAGEM E SURPRESA MARCAM O TERCEIRO DIA DO FESTCINEAMAZÔNIA
Next Encontro Fazer vs. Falar discute sustentabilidade em Manaus

Você também pode gostar

Cineamazônia inicia itinerância tendo o rio Guaporé como destino

Esse rio é minha rua, piso no peito da lua, deito no chão da maré. Os versos de Paulo André e Rui Barata, compositores paraenses, traduzem com perfeição os caminhos

Cineamazônia leva Cinema no Bairro até conjunto Orgulho do Madeira

O Festival Latino Americano de Cinema Ambiental – Cineamazônia no ano de 2017, realiza sua 15ª edição, e para tanto, tem como uma de suas metas, a compreensão da necessidade

CINEMA NO CIRCO MARCA A VOLTA DE XUXU A PORTO VELHO

Ator Luiz Carlos Vasconcelos reencena espetáculo Silêncio Total na capital, junto a exibição de filmes em bairro da periferia de Porto Velho Ele está de volta e pede silêncio total.