Cineamazônia Itinerante começa atividades na Resex Rio Ouro Preto

A noite da quarta-feira (23) foi bastante especial para o Cineamazônia Itinerante: o projeto iniciou suas atividades no espaço comunitário da Resex Rio Ouro Preto, que fica a 50 quilômetros por estrada de chão de Guajará-Mirim.

A unidade de conservação de uso sustentável foi uma das quatro primeiras criadas no Brasil e recebeu pela segunda vez a atividade do projeto que levou muitos filmes curta metragens e a apresentação do palhaço Cloro (artista argentino Diego Gamarra). A dona Francisca Rodrigues, de 66 anos, também teve seu depoimento exibido, após participação no projeto do Cineamazônia Itinerante, chamado de Museus Vivos. “Nossa comunidade tem dificuldades de acesso, logo, é difícil ter esse tipo de diversão para todos, tanto o cinema quanto a apresentação do palhaço. Esta é a segunda vez que vocês vêm até nós e gostamos muito da presença de todos”, disse Micilene Rodrigues, presidente da Associação dos Moradores da Resex Rio Ouro Preto.

Uma turma de alunos da escola 10 de Abril, do Ramal dos Seringueiros, que fica na parte de acesso terrestre a Resex Rio Ouro Preto, participou com muita animação da projeção das produções cinematográficas e da apresentação circense. “Como estamos distantes de Guajará-Mirim fica mais complicado a gente sempre levar as crianças para terem acesso a arte e a cultura. Isso é importante no processo de formação do caráter e da educação delas. Gostei da oportunidade e queremos voltar várias vezes”, afirmou a professora Hélia Souza, responsável pela turma de crianças com idades entre 07 a 12 anos de idade.

Para o representante do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Vinícius Cunha, que patrocina o Cineamazônia há sete anos, não tem preço levar cultura e arte para os lugares mais distantes do país. “Mesmo morando no Rio de Janeiro, esta é a segunda vez que venho a essa região de Guajará-Mirim. Para nós do BNDES, é um golaço marcado pelo Cineamazônia levar essa iniciativa de cinema e circo para os lugares mais distantes da Amazônia. Eu estou encantado com a alegria e participação da plateia na atividade de hoje. Estamos muito felizes em ajudar a fazer um projeto especial dessa magnitude”, destacou ele.

Mais Cineamazônia

O Cineamazônia Itinerante continua a segunda etapa do projeto, com a exibição de filmes e apresentações circenses com o palhaço Cloro em 18 localidades no Vale do Mamoré e ao longo do Rio Guaporé até o dia 12 de setembro, quando encerrará suas atividades em Cabixi, no cone Sul do estado.

A equipe do Cineamazônia irá até comunidades ribeirinhas e quilombolas, reservas extrativistas, tanto do lado brasileiro como do lado boliviano. As primeiras apresentações serão feitas na estrada, como ocorreu na primeira etapa da itinerância.

Depois da Resex, o caminho ainda será por terra, nesta quinta-feira (24), com Guajará-Mirim abrigando o segundo dia da programação, na paróquia Nossa Senhora Aparecida, a partir das 07 da noite.

Em seguida, vem a boliviana Guayaramerín na sexta-feira (25). Por fim, o distrito do Iata fecha as atividades na Pérola do Mamoré, no sábado (26).

Serão alternados municípios e localidades rondonienses e bolivianas. San Lorenzo no dia 28 e Surpresa, no dia 29 serão as primeiras localidades a receberem o projeto após a passagem por terra.

A 15ª edição do Cineamazônia tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual e da Lei Rouanet. Ainda tem o apoio cultural da Sejucel, Funcultural, Fecomércio e SESC Rondônia. O Cineamazônia é associado ao Fórum dos Festivais e membro do Green Film Network.

Você também pode gostar

Remanso marca despedida de Cineamazônia da f...

Texto: Ismael Machado F0tos: Zeca Ribeiro Edição: Lui Machado  A bandeira da Bolívia desfraldada com emoção ao final do espetáculo era o principal símbolo do final da etapa boliviana do

PEDRAS NEGRAS A MAIS IMPORTANTE COMUNIDADE QU...

A Intinerância do Festcineamazônia prossegue subindo o Rio Guaporé

PEDRAS NEGRAS A MAIS IMPORTANTE COMUNIDADE QU...

Pedras Negras é uma reserva biológica pertencente ao município de São Francisco do Guaporé,  que depois de anos de luta hoje vive hoje um clima de otimismo. A equipe do

0 Comments

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!