Cineamazônia inicia itinerância de 20 dias pelo Rio Guaporé

Na quarta-feira (23), o Cineamazônia Itinerante começa sua segunda e etapa do projeto, com a exibição de filmes e apresentações circenses com o palhaço Cloro em 19 localidades no Vale do Mamoré e ao longo do Rio Guaporé até o dia 12 de setembro, quando encerrará suas atividades em Cabixi, no cone Sul do estado.

A equipe do Cineamazônia irá até comunidades ribeirinhas e quilombolas, reservas extrativistas, tanto do lado brasileiro como do lado boliviano. As primeiras apresentações serão feitas na estrada, como ocorreu na primeira etapa da itinerância.

A primeira parada será na Resex Rio Ouro Preto que foi umas das quatro primeiras unidades de uso sustentável a serem criadas no Brasil. Está localizada entre os municípios de Guajará-Mirim e Nova Mamoré.

Depois da Resex, o caminho ainda será por terra, com Guajará-Mirim (24 de agosto) abrigando o segundo dia da programação, na paróquia Nossa Senhora Aparecida. Em seguida, vem a boliviana Guayaramerín no dia 25 de agosto. Por fim, o distrito do Iata fecha as atividades na Pérola do Mamoré, no sábado (26).

Serão alternados municípios e localidades rondonienses e bolivianas. San Lorenzo no dia 28 e Surpresa, no dia 29, são os dois primeiros locais que irão receber o Cineamazônia Itinerante. San Lorenzo é uma pequena comunidade boliviana. Já Surpresa faz parte do lado brasileiro.

Além de Guayaramerín, mais seis comunidades da Bolívia acolherão o Cineamazônia Itinerante: San Lorenzo, Buena Vista, Versalles, Mateguá, Cafetal e Remanso.

Do lado brasileiro há desde municípios maiores como Costa Marques e Guajará-Mirim até pequenas comunidades quilombolas como Santo Antônio e Pedras Negras.

Em comum, todas reconhecem a importância do Cineamazônia Itinerante. Tanto que a cada ano, as sessões ao ar livre são lotadas. As crianças, principalmente, divertem-se sempre com as estripulias circenses e com os curta metragens exibidos.

Na primeira etapa entre o Peru, Acre e distritos de Porto Velho foram 12 localidades visitadas em 12 dias e 2.500 quilômetros percorridos em estradas de asfalto e chão, levando a arte e cultura a alguns dos lugares mais esquecidos da Amazônia, passando por comunidades que nunca tiveram uma sala de cinema.

A 15ª edição do Cineamazônia tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual e da Lei Rouanet. Ainda tem o apoio cultural da Sejucel, Funcultural, Fecomércio e SESC Rondônia. O Cineamazônia é associado ao Fórum dos Festivais e membro do Green Film Network.

Você também pode gostar

FESTCINEAMAZONIA ITINERANTE É EXIBIDO SOBRE ...

A exibição do FestCineamazônia Itinerante 2015 – Vale do Guaporé no distrito de Buena Vista, do lado boliviano do Rio Guaporé ocorreu na noite desta sexta, 10 de julho, com

“Dedo na ferida”, de Sílvio Tendler, abr...

Na vasta filmografia de Sílvio Tendler nunca houve espaço para a neutralidade. Conhecido como o “cineasta dos sonhos interrompidos”, Tendler tem o raro dom de tratar com sensibilidade assuntos sérios

XAPURI-ACRE RECEBE O FESTIVAL DE ARTES INTEGR...

Durante os períodos conhecidos como “ciclos da borracha”, Xapuri era a principal referência em termos sociais e culturais do Acre  e em outras regiões do país. A partir da década de

0 Comments

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!