FESTCINEAMAZÔNIA ITINERANTE PELO VALE DO GUAPORÉ CHEGA AO QUILOMBO DE SANTO ANTÔNIO

Cinema e Arte Circense pela primeira vez na região do Vale do Guaporé

Subindo o Rio Guaporé o FESTCINEAMAZôNIA ITINERANTE chega à comunidade Quilombola de Santo Antônio. As famílias já estavam aguardando o festival, mobilizadas pelos cartazes afixados dias antes pela equipe de pré-produção. A decadência em que se encontra Santo Antônio é visto logo na chegada, demarcada  por uma casa em ruínas onde funcionava a escola local, como também pode-se ver na Casa de Farinha.

A chegada do FESTCINEAMAZôNIA é vista com esperança por todos moradores, uma oportunidade de serem ouvidos em seus dramas, decorrentes pela luta em garantir a terra em que viveram seus antepassados. Uma asfixia deliberada pelo estado, os impede de plantarem suas roças em áreas maiores, onde possam ter uma produção  para  além de suas  subsistências. Seu Epifânio Lopes Calazans, 75 anos, um dos sobreviventes do Quilombo, vive sozinho em sua casa e para afastar sua melancolia busca a viajar pela região visitando seus contemporâneos. Dona Vilma Maciel Machado, 53 anos, resume assim os descasos vividos pelas  crianças, “ desativaram a escola obrigando às crianças a percorrem mais de duzentos quilômetros, por barco e ônibus, até a sede do município São Francisco do Guaporé. Elas saem às 10 horas e voltam exaustas às 19 horas, quase todas já dormindo. Um verdadeiro crime”.

A magia e o encantamento da sétima arte toma conta do público com as exibições dos filmes,   “MAPINGUARI” direção de Marcos Magalhães, “LEONEL Pé DE VENTO” direção de Jair Giacomini, “CALANGO LENGO MORTE E VIDA SEM VER áGUA” direção de Fernando Miller e o documentário QUILOMBAGEM dirigido por Jurandir Costa e Fernanda Kopanakis, onde é retratado os dramas vividos pelos Quilombolas de Santo Antônio e Pedras Negras. Para a quase totalidade dos moradores é a primeira vez que assistem a um cinema. Em seguida sob as mangueiras onde foi armado o picadeiro, entra o Palhaço XUXU saindo do meio da floresta. Suas irreverências e assertivas sobre o meio ambiente e a harmonia entre os povos, são entremeadas pelas brincadeiras que contagiam a todos. O FESTCINEAMAZôNIA ITINERANTE pelo Vale do Rio Guaporé, depois de se apresentar nas cidades de Guajará Mirim – BR, Guayaramerim – BO e as comunidades de Surpresa – BR, Forte Príncipe da Beira – BR, Buena Vista – BO e Quilombo de Santo Antônio – BR, segue pelas comunidades de Versalles – BO, Quilombo de Pedras Negras – BR, Mategua – BO, Porto Rolim – BR e no dia 04 de julho encerra a itinerancia na cidade de Pimenteiras – BR.

O Festcineamazônia 2012 tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal através da Lei Rouanet, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Governo de Rondônia, Secel, TAL – Television America Latina, Governo Autônomo Municipal de Guayaramerim/Bolívia e Prefeitura Municipal de Guajará Mirim/Brasil.

Você também pode gostar

Cineamazônia inicia itinerância tendo o rio...

Esse rio é minha rua, piso no peito da lua, deito no chão da maré. Os versos de Paulo André e Rui Barata, compositores paraenses, traduzem com perfeição os caminhos

FESTCINEAMAZÔNIA FAZ SUA ITINERÂNCIA PELO V...

A itinerância do FESTCINEAMAZôNIA saiu de Guayaramerim, Bolívia, às 13 horas do domingo e 24 horas depois aportou em Surpresa distrito de Guajará Mirim. As águas do Rio Mamoré à

Curta coproduzido pelo Cineamazônia é selec...

De Porto Velho para o Velho Continente. Este será o trajeto realizado pelo curta “Na Boca do Mapinguari”, produção rondoniense selecionado para participar da mostra competitiva da edição 2016 do

0 Comments

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!