Extrema recebe a itinerância do Cineamazônia

Muita diversão do início ao fim. Assim foi a visita da caravana do Cineamazônia Itinerante 2016 na cidade de Extrema, distrito de Porto Velho, nesta terça-feira (17). A quadra municipal ficou lotada e contou com a presença maciça do público jovem do local. A comunidade, que já recebera o festival  em outras oportunidades, abraçou a caravana com uma garotada extremamente participativa e animada.

plateia extrema

A sessão teve uma cara bem diferente das realizadas até o momento pelo festival, com muitos adolescentes entre os presentes. Por isso, a noite do festival teve dois atos. Primeiro os curtas e as animações da programação conseguiram, com linguagem mais jovem, dialogar bem com os garotos entre os 13 e 17 anos, que eram a todo momento convidados a pensar na mensagem que estava sendo passada na tela.

Após o cinema, chegou a hora das crianças, que passaram a ser maioria a partir de então. Muito animadas, elas participaram de todas as brincadeiras feitas pelos palhaços peruanos Figurita e Aguajito.

As crianças e adolescentes formaram, claro, a esmagadora maioria da sessão. Mas eles não foram os únicos. O agricultor João Paulo Bezerra, de 80 anos, confessou que estava animado para assistir às apresentações dos palhaços. “Fazia muito tempo que não via um palhaço. Eu gostava muito de ir ao circo há muito tempo atrás. Poder participar novamente e levar a minha filha pequena é muito bom”, afirmou o agricultor.

Cineamazonia Itinerante 2016 tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Lei Rouanet. Apoio Cultural da Prefeitura de Porto Velho, através da SEMA e FUNCULTURAL.

Você também pode gostar

A PRIMEIRA VEZ NÃO SERÁ ESQUECIDA

É um tempo diferente o que cerca a comunidade que vive na Reserva Extrativista Rio Ouro Preto, entre os municípios de Guajará-Mirim e Nova Mamoré, em Rondônia. Guiados pelo rio

EXTREMA

Após 70 quilometros em uma tranquila estrada de asfalto em direção ao Acre, saímos de Vista Alegre e chegamos a Extrema. Localizada ainda mais na extremidade do estado, Extrema vive,

EXPEDIÇÃO FESTCINEAMAZÔNIA LEVA MÚSICA, P...

“Estou esperando o calor tropical que ainda não veio”. Em tom de brincadeira o escritor português José Luís Peixoto reclamava da baixa temperatura de frios cortantes na cidade boliviana de

0 Comments

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!