De volta à estrada!

De volta à estrada!

Passaram-se aproximadamente dois meses desde a primeira vez que entrei na van com o Cineamazônia. Havia ficado uma sensação de dever cumprida e ao mesmo tempo de “quero mais” na última aventura pelas estradas da Amazônia.

Dessa vez a aventura seria diferente. Ao invés de van e hotel, um barco de três andares para acomodar a nós e a toda estrutura do festival. No lugar das estradas e BRs, o enorme Rio Guaporé.  O objetivo, entretanto, continuaria o mesmo: levar cinema e circo às partes mais distantes da Amazônia.

Antes das 8h já estavam todos na concentração de onde partiríamos de Porto Velho em direção a Guajará-Mirim, uma cidade na beira do rio Madeira-Mamoré, que se tornará nossa base nos próximos três dias.

Na equipe algumas novidades. Zeca Ribeiro será o nosso fotógrafo da equipe, que ainda conta com o Maílson como cinegrafista. Alexandre e Geiza entram substituem a dupla de palhaços Figurita e Aguahito, da primeira etapa. É interessante, porque além de fazerem o papel de Cotonete e Chiquita, Alexandre e Geiza são um casal. Há onze anos! Eu particularmente já acho incrível um casal chegar a tanto juntos. Mais ainda sendo companheiros de trabalho. E mais: sendo palhaços! Tento imaginar um dia em que aconteça alguma discussão pessoal antes do espetáculo, como eles conseguem manter a compostura e continuar alegrando a plateia e fingirem estar tudo bem durante o espetáculo.

ZRO_7375

Ainda partem conosco dentro da van a grande fotógrafa Bete Bulara, que fará uma oficina de técnica pinhole para as crianças das comunidades e o Arthur Moretti, físico especializado em energia sustentável e nossa ponte para a nossa primeira apresentação, na Reserva Extrativista de Rio Ouro Preto.

A partida foi bem mais tranquila que a primeira etapa em maio. Por um motivo bem simples. Chegar em Guajará-Mirim demandou quase um terço do tempo do que chegar em Iñapari. Embora estivesse no pior lugar possível dentro da van (bem em cima da roda traseira esquerda, o que me fazia fica completamente espremido entre roda, o banco da frente e o Moretti, que sentou ao meu lado), a viagem foi bem agradável.

Durante as quase quatro horas de viagem, a conversa flutuou entre futebol, gastronomia, política, o histórico sócio-ambiental durante a formação de Porto Velho. Moretti apontava para os descampados e lugares que pareciam terem saído de um filme apocalíptico pós-guerra nuclear. Enormes buracos onde antes havia um rio e árvores sem vida compunham o horizonte de forma deprimente, causados pela construção de barragens para usinas hidrelétricas da região.

ZRO_7348

O casal e Moretti pareciam querer competir quem teve a situação mais constrangedora ou perrengue passado em solo europeu. Como Geyza e Alexandre não falam bulhufas de inglês, eu dou o Troféu Enrolation para o casal de palhaços.

Chegamos em Guajará-Mirim na hora do almoço. De cara fiquei muito feliz ao ver que o barco que serviria como transporte e hotel nos próximos 21 dias realmente oferece uma estrutura muito boa.

Descobrimos de forma rápida e empírica que uma das principais dificuldades este ano sem dúvidas será não engordar. Henrique, nosso cozinheiro que vai a bordo conosco é realmente faz uma comida maravilhosa. Seguramente um dos melhores feijões que já comi na vida. Por um momento eu me pergunto seriamente porque o que o Atala é considerado um artista da gastronomia e o Henrique não. Uai! Técnica por técnica, eu gostaria de ver teste cego de receitas de arroz com feijão feito dentro da cozinha do barco entre o chefe internacional e o nosso. Alex Atala, se estiver lendo, está lançado o desafio!

Não tivemos muito tempo para descansar. A nossa primeira apresentação fica a apenas 80 km/h de estrada de chão, que obriga os motoristas a andar a no máximo 40 km/h. Foram quase duas horas de estrada esburacada empoeirada mata a dentro até chegarmos ao nosso destino.

ZRO_7260

O lugar da exibição é belíssimo. Uma casa de madeira bem grande funciona como apoio logístico para as famílias que trabalham com o extrativismo na região, vendendo castanhas-do-pará e farinha. O lugar fica à beira do rio, onde crianças brincavam sob os olhos das mães que terminavam de lavar as roupas. Em uma pequena barraquinha dona Damiana vende bolos, doces e janta. Pato e galinha eram o menu do dia. Dizem que quem provou, aprovou.

Quando a noite chegou e finalmente começaram as apresentações, vemos que tudo vale a pena. O público interagiu bem com os filmes e se divertiu muito com a apresentação de Chiquita e Alexandre.

Ao término das apresentações, os moradores serviram uma galinhada. Alguns dos nossos tripulantes mais uma vez se deliciaram com a janta. Eu não tive a mesma sorte. Cheguei atrasado. E ainda tive o desprazer de ver pela TV o Vasco perdendo em casa para o Santa Cruz. Que fase!

No final de tudo, fica sensação era de uma paz esquisita, apesar da agitação do trabalho. Parece um velho clichê hippie, mas o tempo realmente passa de forma diferente quando se foge da cidade. Longe das luzes, as estrelas e a lua deixavam o céu completamente iluminado. Há até uma ansiedade de entrar de vez no meio do rio Guaporé para ver como será o céu sem realmente nenhuma luz artificial por perto.

Há um potencial mágico por aqui que não há como explicar.

E está só começando.

(FOTOS: ZECA RIBEIRO)

Você também pode gostar

Estão abertas as inscrições para a mostra ...

Começam neste domingo, 1 de maio, as inscrições para a décima quarta edição do Cineamazônia – Festival Latino Americano de Cinema Ambiental, que será realizado no período entre 23 e

A PRIMEIRA VEZ NÃO SERÁ ESQUECIDA

É um tempo diferente o que cerca a comunidade que vive na Reserva Extrativista Rio Ouro Preto, entre os municípios de Guajará-Mirim e Nova Mamoré, em Rondônia. Guiados pelo rio

Escolhidos os filmes que participarão da Mos...

Estão definidos os filmes que participarão da Mostra Competitiva do 14º Festival Latino Americano de Cinema Ambiental (Cineamazônia). Ao todo, 44 filmes concorrerão à Mostra Competitiva 2016, entre documentários, animações,

0 Comments

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!