Filme sobre Rondon vai abrir a 14a edição do Cineamazônia 

Marechal Cândido Rondon, foi uma das mais proeminentes figuras que ajudou a colonizar o território brasileiro de forma efetiva. É sobre esse personagem histórico que se trata o filme “Rondon, O Desbravador”, convidado para abrir a 14ª edição do Festival Cineamazônia. O longa-metragem será exibido no dia 22 de novembro, às 20hs, no Teatro Banzeiros, em Porto Velho (RO). A programação do Cineamazônia vai até o dia 26 de novembro, sempre com entrada franca.

foto-rondon-1

Trecho do filme “Rondon, O Desbravador”. Filme será exibido na abertura do Festival Cineamazônia

Dirigido por Marcelo Santiago e Rodrigo Piovesan e tendo no elenco nomes como Nelson Xavier e Marcos Winter, ‘Rondon, o Desbravador’ mostra mais uma vez a importância da descentralização na produção do cinema brasileiro, a partir de diversas iniciativas federais. É um longa-metragem produzido no Mato Grosso que estreou em pelo menos 20 salas de cinema no Brasil inteiro. É a primeira produção mato-grossense que consegue furar barreiras e incluir-se no circuito brasileiro de lançamentos mundiais. Méritos para a distribuidora Europa Filmes.

Com uma fotografia e uma paleta de cores irrepreensíveis, ‘Rondon, o Desbravador’ inicia a partir do fictício encontro entre o Marechal Cândido Rondon (Nelson Xavier) e um jornalista para uma entrevista. Já no fim da vida, praticamente cego, o militar, um grande líder, idealista e responsável por políticas de incentivo a convivência pacífica entre os povos indígenas e os brancos, revisita sua história. Não faltam momentos marcantes, como a indicação ao Prêmio Nobel da Paz, em 1957.

Rondon é um personagem marcante. Se ainda é necessário revisitar a fundo sua história num período em que o contato com índios deixou marcas profundas nos povos indígenas, como atesta outro filme que vai pela mesma seara, Xingu, que retrata a vida dos irmãos Villa-Boas, fato é que o Brasil não seria o mesmo sem a atuação do marechal.

foto-filme-rondon-4

Trecho do filme “Rondon, O Desbravador”. Filme será exibido na abertura do Festival Cineamazônia

Cândido Rondon liderou expedições no território brasileiro, foi responsável pelo primeiro contato com dezenas de nações indígenas e, sob o lema “Morrer se preciso for, matar, nunca”, possibilitou o início de uma convivência relativamente pacífica entre índios e brancos. Partindo dos acontecimentos históricos, o filme cria um encontro fictício entre um jornalista e o marechal para uma entrevista na residência do velho aventureiro. Durante todo um dia, Rondon encanta o jornalista com histórias cheias de aventura e lembranças, às vezes tristes, às vezes divertidas, mas sempre repletas de ternura e saudades.

O filme é resultado de uma co-participação entre Mato Grosso e Rio de Janeiro. A co-direção e produção contam com o cineasta cuiabano Rodrigo Piovesan, além do também diretor carioca Marcelo Santiago. Fruto de um trabalho construído em três etapas, o filme nasceu depois de vasta pesquisa. Antes de virar um longa de ficção, o resultado do trabalho da dupla originou um documentário, uma minissérie para televisão em cinco capítulos e, por fim, o longa-metragem.

Cineamazonia, 14a EDIÇÃO, tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Lei Rouanet. Apoio Cultural da Prefeitura de Porto Velho, através da SEMA.

 

Você também pode gostar

Cineamazônia Itinerante fecha a primeira eta...

O Cineamazônia Itinerante encerrou o último dia de atividades da primeira etapa na Escola Tiradentes da Polícia Militar, em Jacy-Paraná, na tarde da segunda-feira (14). Mesmo com a rotina de

Israelitas consagram Cineamazônia em Mategua

TEXTO: ISMAEL MACHADO FOTOS: ZECA RIBEIRO EDIÇÃO: LUI MACHADO  A maior concentração de botos em toda itinerância do rio Guaporé. O comentário era repetido por quase todos os integrantes do

Vista Alegre recebe caravana do Cineamazônia...

Logo no dia seguinte, na terça-feira (08), o Cineamazônia Itinerante seguiu para Vista Alegre do Abunã, cidade com pouco mais de 4 mil habitantes e distante 260 quilômetros da Capital,

0 Comments

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!