Cineamazônia Encontra Abrigo em Forte Príncipe Da Beira

Texto- Ismael Machado
Fotos- Zeca Ribeiro
Edição-Lui Machado

O Forte Príncipe da Beira é uma das edificações mais imponentes e intrigantes que o período colonial legou ao Brasil. Situado às margens do Rio Guaporé é repleto de histórias e lendas. Uma história não contada é a da própria construção do forte. A oficial diz que 200 trabalhadores erigiram a muralha de pedra. A não oficial revela que pelo menos mil escravos e 5 mil índios escravizados foram utilizados durante os sete anos que o forte levou para ficar pronto.

Durante a lua cheia da noite de 21 de julho, o Forte Príncipe da Beira recebeu a caravana cultural do Cineamazônia Itinerante. Como sempre, noite especial. Guarnecida por uma brigada de fronteira do Exército, as muralhas do forte foram o palco de oito filmes em curta-metragem e de uma apresentação marcante da Trupe Koskowisck. Os palhaços Cotonete e Chiquita tiveram de se desdobrar para conter o entusiasmo das crianças do local, que interagiam a todo momento.

Itinerância Vale do Guaporé

Itinerância Vale do Guaporé

O local também recebeu as oficinas de fotografia artesanal ministrada por Bete Bullara e o filme em curta metragem de animação na técnica Pixilation, de Christian Ritse. Durante a tarde, a equipe do Amazon Sat conheceu uma das histórias intrigantes do Forte. Guiados pelo presidente da Associação Quilombola de Forte Príncipe da Beira, Elvis Pessoa, a equipe foi até um labirinto de pedras situado no meio da mata. Local que é cercado por lendas. Do labirinto, Elvis Pessoa já encontrou diversos artefatos, inclusive peças que remetem a colonizações incas.

O filme moçambicano The Change foi quem mais chamou a atenção do público durante a exibição. É um curta que mostra a dualidade entre um modo de vida mais sustentável com o de cidades que se tornam quase inabitáveis por conta de seu modo exploratório de vida.

As próximas paradas do Cineamazônia Itinerante são o distrito de Buena Vista, na Bolívia e o município de Costa Marques, em Rondônia.

Cineamazonia, 14ª EDIÇÃO, tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Lei Rouanet. Apoio Cultural da Prefeitura de Porto Velho, através da SEMA.

Você também pode gostar

Uma só linguagem em Guayaramerin: arte

As ruas movimentadas do comércio de Guayaramerin parecem ter ficado perdidas num tempo que faz falta aos moradores dessa pequena cidade boliviana. A alta do dólar tem afastado os principais

Cineamazônia abre Inscrições para a décim...

Estão abertas as inscrições para a pré-seleção de filmes da Mostra Competitiva do Cineamazônia – Festival Latino Americano de Cinema Ambiental, em sua décima quinta edição, que será realizado no

FESTCINEAMAZÔNIA APOIA CRIAÇÃO DO PARQUE D...

Vamos plantar um parque no rio Madeira. A mensagem repercutiu no Baixo rio Madeira na edição itinerante do Festival Latino Americano de Cinema e Vídeo Ambiental – Festcineamazõnia realizada nos