CINEMA E HISTÓRIA

CINEMA E HISTÓRIA

_DSC8804_Avener_PradoA caravana itinerante do Festcineamazônia chegou ao distrito de Abunã onde, ao invés da tenda que servia de palco para as projeções, dessa vez o festival utilizou a quadra esportiva da Escola Municipal Marechal Rondon, cedida pela diretora da escola, Nézia Brás.

Para Sérgio Augusto Sousa Lima, administrador do distrito, presente no evento, “o festival vem a contribuir para a área de lazer, tão deficiente aqui na cidade.” Há 10 anos vivendo em Abunã, hoje Lima tenta mediar o impacto da construção da usina Jirau, que atinge os moradores. A própria quadra onde ocorreu a projeção foi construída pelo consórcio Energia Sustentável como uma forma de mitigação dos transtornos, objetivando uma das áreas mais deficitárias da localidade: o lazer. A quadra custou R$ 435 mil. “Estávamos precisando de uma quadra coberta aqui na comunidade. Mas isso ainda é muito pouco, o impacto é grande e Abunã tem muitas necessidades”, afirmou o administrador.

Nesta quarta apresentação em cinco dias, os primeiros a chegar foram as crianças. Algumas a pé, outras em bicicleta. Animadas com a quadra, chegaram a se anteciparam à projeção para jogar bola enquanto a equipe montava o cenário. Karina e Karine, irmãs gêmeas de oito anos, que vieram junto de seus dois irmãos e os pais, queriam ver os filmes e, principalmente, ver as palhaçadas do palhaço Sorriso. Ana Clara, 7, também chegou cedo. Estava curiosa para ver os filmes, e disse que queria fazer uma apresentação de “dança da índia”: “eu fiz na inauguração da quadra!”

Abunã é uma cidade histórica, em estilo colonial, e um dos locais onde as marcas da Estrada de Ferro Madeira Mamoré – no caminho a caravana cruzou pela vila de Mutum, que foi desalojada para o lago da hidrelétrica de Jirau, e onde alguns trilhos ainda marcam presença em meio a casas destruídas e mato crescendo.

A itinerância do Festcineamazônia agora cruza o Madeira para se apresentar em Vista Alegre do Abunã.

O Festcineamazônia® Itinerante tem o patrocínio da Oi, BNDES, Governo Federal, Ministério da Cultura através da Lei Rouanet, Secretaria do Audiovisual, apoio cultural Oi Futuro, Funarte, Prefeitura do Municipio de Porto Velho através da SEMED e Fundação Iaripuna, Governo do Estado de Rondonia – SECEL e SEDUC.

Você também pode gostar

FESTCINEAMAZÔNIA ITINERANTE TRANSFORMA CINEM...

Até onde a imaginação pode levar! A edição itinerante do Festival Latino Americano de Cinema e Vídeo Ambiental – Festcineamazônia levou sonhos, fantasia e esperança às comunidades ribeirinhas dos distritos

FORTE PRÍNCIPE RECEBE O FESTICINEAMAZÔNIA I...

Fortaleza foi construida pelos portugueses na margem direira do Rio Guaporé Por Sérgio Carvalho Foto de Eder Medeiros No último dia 13 de agosto, na entrada da ruína do grande

AMAZÔNIA: A MAIS COMPLETA TRADUÇÃO.

A mais completa tradução da Amazônia é a sua recente produção cinematográfica. é a mais completa porque é a mais recente.  Beneficiou-se de uma rica e diversificada história cultural e

0 Comments

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!