FEST CINEAMAZÔNIA® 2010 REALIZA ETAPA ITINERANTE NO BAIXO MADEIRA

FEST CINEAMAZÔNIA® 2010 REALIZA ETAPA ITINERANTE NO BAIXO MADEIRA

O Fest Cineamazônia® – Festival Latino Americano de Cinema e Vídeo Ambiental realiza a etapa itinerante 2010. A primeira viagem foi para as localidades da região do Baixo Madeira, em Porto Velho. Em uma embarcação especialmente preparada para o transporte e acomodações, a equipe passou por São Carlos, Nazaré e Calama. Um documentário sobre o festival está sendo produzido, tendo como protagonista o jornalista e artista Silvio Santos, o Zé Katraca, que nasceu em São Carlos, às margens do rio Madeira.
A etapa itinerante é uma forma de levar cinema e vídeo para comunidades sem salas de projeção, promovendo inclusão cultural. Serve também para ampliar o público para o cinema nacional. A mobilização envolve integrantes da equipe do Fest Cineamazônia® e parceiros, como os administradores dos distritos visitados, que juntamente com diretores de escolas ajudam na divulgação do evento.
Para chegar aos distritos do Baixo Madeira, a equipe do festival teve dificuldades. A embarcação só pode viajar durante o dia por causa da fumaça das queimadas que afetam a visibilidade. Outro problema foi o baixo nível do rio Madeira que deixa expostos os pedrais e bancos de areias.
O Baixo Madeira foi a rota inicial da etapa itinerante, mas o Fest Cineamazônia® também será levado para os demais distritos e localidades do extenso município de Porto Velho, devendo atingir um público geral de três mil pessoas. Serão onze localidades ao todo que receberão as exibições de cinema e vídeo ambiental.
A viagem começou no domingo passado com um dia de preparação no barco Nossa Senhora Aparecida II, especialmente preparado para os tripulantes do festival. Todos dormiram no barco para não atrasar a saída prevista para as 5 horas da segunda-feira, mas as condições de visibilidades foram tão ruins que a viagem só foi liberada às 7 horas daquela manhã.
São Carlos, a primeira parada
A chegada a São Carlos se deu 6 horas depois da saída de Porto Velho. A equipe de logística cuidou das instalações elétricas, montagem do telão e posicionamento de confortáveis cadeiras. Enquanto isso, a produção técnica gravava cenas do cotidiano e do personagem Silvio Santos (Zé Katraca) que será protagonista num documentário sobre o festival.
A escolha do poeta, cantor e jornalista Silvio Santos para narrar o filme se deu por ser natural de São Carlos. Durante as gravações o artista se emocionou em rever parentes, amigos e de regressar ao lugar onde nasceu.
A cada etapa realizada são feitas imagens e fotografias das localidades para que no futuro seja feito um comparativo da ocupação populacional na região. As imagens são exibidas em vídeo de abertura da mostra o que causa grande empolgação do público que se vê na tela gigante.
Nazaré, o paraíso das artes
A mostra itinerante em Nazaré foi marcada pela emoção do público ao assistir o filme Mulher De Branco, produzido, dirigido e interpretado por artistas da localidade. Destaque também para os três vídeos clips produzidos pelo Fest Cineamazônia® com o grupo musical Minhas Raízes formado por 21 crianças. Liderados pelo maestro Tim Maia, as crianças cantam músicas inéditas com letras sobre o folclore e o cotidiano dos moradores da localidade.
O grupo tem agenda de shows, mas só sai de Nazaré depois do cachê acertado. “é uma forma de respeito e valorização dos nossos artistas”, explica Tim, que já produz o segundo CD do grupo. O Minhas Raízes já se apresentou até em Brasília. As melodias são acompanhadas com bioinstrumentos de percussão fabricados com madeiras rejeitadas pela natureza. A originalidade é a marca do grupo.
A itinerância em Nazaré aconteceu num clima de preocupação por causa do racionamento de energia e falta de comunicação. Os três telefones públicos não estavam funcionando. Num final da tarde o conjunto gerador voltou a funcionar depois de reabastecidos. O combustível chega à localidade em grandes balsas-tanques, o que dificulta o abastecimento. Com a chegada da energia elétrica a equipe agiu rápido para montar a estrutura.
Calama, o berçário dos botos
Emoção à parte em Calama são os bailados dos botos que se aglomeram na confluência dos rios Machado e Madeira. O grande poço formado pela união dos dois grandes rios torna o local farto em peixes, alimento cobiçado pelos botos. Ali é comum ver grande quantidade desse mamífero símbolo das águas da Amazônia.
A exibição da mostra itinerante em Calama aconteceu na frente da igreja, nas margens do rio Madeira.  O público recebeu com alegria a mensagem do Fest Cineamazônia® Itinerante.
A localidade de Calama é cercada de grandes rios e igarapés. A travessia para alguns bairros se dá por longas pontes. Os estudantes são privilegiados com duas escolas bem estruturadas, uma delas com internet freqüente e estável. A direção da Escola Estadual General Ozório e da Escola Municipal Dra. Ana Adelaide apoiaram o Fest Cineamazônia®, ajudando na divulgação e mobilidade da comunidade.
A equipe saiu de Calama com uma preocupação: a cada ano parte localidade é devorada pela correnteza do rio Madeira. Como o leito do rio ainda está em formação, o fenômeno se repete com o desbarrancamento das margens. No próximo inverno é provável que algumas casas possam desaparecer.
No retorno a equipe leva saudades de gentes alegres e receptivas, que vivem próximo da natureza e sabem da importância de preservar o meio ambiente. Com o dever cumprido, o Fest Cineamazônia® espera ter deixado mensagens construtivas para as novas gerações.
O retorno à Porto Velho também foi com visibilidade baixa por causa da fumaça. Viajando sempre de dia, a embarcação traz os técnicos e o pessoal de apoio para um descanso até que chegue o momento da próxima viagem.
O Fest Cineamazônia® Itinerante tem o patrocínio do Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual e Fundo Nacional de Cultura, apoio da Prefeitura de Porto Velho através da Semed – Secretaria Municipal de Educaçao, e, Fundação Iaripuna – Cultura e Jornal Folha de Rondônia.

Você também pode gostar

FESTCINEAMAZÔNIA ITINERANTE É ATRAÇÃO NO ...

O cinema e circo chega ao Baixo rio Madeira com a edição itinerante do Festival Latino Americano de Cinema e Vídeo Ambiental – Festcineamazônia. A partir desta quinta-feira (6) até

CINEAMAZÔNIA ITINERANTE NA ESTRADA

“Vocês deviam vir mais vezes aqui. Não temos quase nada para dar aos nossos jovens. Deus abençoe vocês”. Ombros arqueados, passos vagarosos, sorriso de poucos dentes, Pencha Tamayo, 68 anos,

FORTALEZA DO ABUNÃ, UMA PAUSA PARA O CINEMA

FESTCINEMAZONIA realiza apresentação nas margens do rio Abunã Por Sérgio Carvalho com Fotos de Talita Oliveira Nesta quinta-feira, 29 de maio, quando a equipe do FESTCINEMAZONIA ITINERANTE 2015, para mais

0 Comments

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!