Cafetal e Laranjeiras: arte e cultura nas duas margens do Guaporé

TEXTO: ISMAEL MACHADO
FOTOS: ZECA RIBEIRO
EDIÇÃO: LUI MACHADO

O posto militar de Cafetal, na Bolívia, faz parte da história recente do país. Foi nele que o atual presidente Evo Morales foi mantido preso em represália à sua atuação como liderança de agricultores ‘cocaleros’. Já como presidente, Morales determinou que todas as escolas ao longo do Rio Guaporé deveriam ser conectadas à internet. A escola de Cafetal, de estrutura simples, mas com energia elétrica advinda de placas solares, não foge à regra. Foi nessa localidade com muita poeira e sol escaldante durante o dia que o Cineamazônia Itinerante realizou a antepenúltima apresentação dessa segunda etapa de itinerância.

Na noite anterior, houve uma apresentação especial em Laranjeiras, em uma pequena fazenda da família Casara. A exibição, embora para poucas pessoas, marcou o registro oficial de fotos e vídeos da itinerância ao longo do Guaporé.

Em Cafetal, ocorreu um dos maiores públicos até então da caravana cultural. Isso porque, além da platéia formada por moradores de Cafetal, houve o reforço de cerca de 40 soldados que, à paisana, aproveitaram a folga do sábado, 30 de julho, para prestigiar o cinema e o circo.

Itinerância Vale do Guaporé

Itinerância Vale do Guaporé: Público em Cafetal

A equipe do Cineamazônia foi recepcionada pelo alcaide Dabi Camacho, principal autoridade política em Cafetal. “Estamos gratos por trazerem o humor e a cultura que sempre caracterizaram esse projeto”, disse. É a terceira vez que Cafetal recebe a itinerância do Cineamazônia.

Foram exibidos oito curta-metragens. Nas primeiras fileiras, as crianças eram as mais atentas. Os curtas Espero (Hope) e The Change, foram os que arrancaram aplausos do público. A noite foi encerrada com a apresentação de Chiquita e Cotonete, com o espetáculo ‘Olha o palhaço no meio da rua’.

Depois de Cafetal, são as localidades de Remanso, na Bolívia e Pimenteiras em Rondônia, que encerrarão a segunda etapa da itinerância, iniciada no dia 13 de julho.

Cineamazonia, 14a EDIÇÃO, tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Lei Rouanet. Apoio Cultural da Prefeitura de Porto Velho, através da SEMA

Você também pode gostar

Inclusão e educação: estudantes lotam plat...

Os olhos brilhavam de expectativa. Os sorrisos eram quase incontroláveis. Foi dessa maneira que estudantes das escolas públicas estaduais e municipal Ulisses Guimarães, 21 de Abril e Saul Bennesby entraram

Surpresa e vitória para o Cineamazônia

Texto- Ismael Machado Fotos- Zeca Ribeiro Edição- Lui Machado Vitória Laís tem nove anos e dois sonhos. O de deixar os cabelos alourados crescerem como o de Rapunzel- sem alisar-

FESTCINEAMAZÔNIA ITINERANTE RUMO AO PERU

Trata-se de uma itinerância especial diante do momento por que vivem os peruanos envolvidos pela escolha do seu novo presidente no próximo domingo. Keiko Fujimori ou Ollanta Humala? As pesquisas

0 Comments

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!