Cafetal e Laranjeiras: arte e cultura nas duas margens do Guaporé

TEXTO: ISMAEL MACHADO
FOTOS: ZECA RIBEIRO
EDIÇÃO: LUI MACHADO

O posto militar de Cafetal, na Bolívia, faz parte da história recente do país. Foi nele que o atual presidente Evo Morales foi mantido preso em represália à sua atuação como liderança de agricultores ‘cocaleros’. Já como presidente, Morales determinou que todas as escolas ao longo do Rio Guaporé deveriam ser conectadas à internet. A escola de Cafetal, de estrutura simples, mas com energia elétrica advinda de placas solares, não foge à regra. Foi nessa localidade com muita poeira e sol escaldante durante o dia que o Cineamazônia Itinerante realizou a antepenúltima apresentação dessa segunda etapa de itinerância.

Na noite anterior, houve uma apresentação especial em Laranjeiras, em uma pequena fazenda da família Casara. A exibição, embora para poucas pessoas, marcou o registro oficial de fotos e vídeos da itinerância ao longo do Guaporé.

Em Cafetal, ocorreu um dos maiores públicos até então da caravana cultural. Isso porque, além da platéia formada por moradores de Cafetal, houve o reforço de cerca de 40 soldados que, à paisana, aproveitaram a folga do sábado, 30 de julho, para prestigiar o cinema e o circo.

Itinerância Vale do Guaporé

Itinerância Vale do Guaporé: Público em Cafetal

A equipe do Cineamazônia foi recepcionada pelo alcaide Dabi Camacho, principal autoridade política em Cafetal. “Estamos gratos por trazerem o humor e a cultura que sempre caracterizaram esse projeto”, disse. É a terceira vez que Cafetal recebe a itinerância do Cineamazônia.

Foram exibidos oito curta-metragens. Nas primeiras fileiras, as crianças eram as mais atentas. Os curtas Espero (Hope) e The Change, foram os que arrancaram aplausos do público. A noite foi encerrada com a apresentação de Chiquita e Cotonete, com o espetáculo ‘Olha o palhaço no meio da rua’.

Depois de Cafetal, são as localidades de Remanso, na Bolívia e Pimenteiras em Rondônia, que encerrarão a segunda etapa da itinerância, iniciada no dia 13 de julho.

Cineamazonia, 14a EDIÇÃO, tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Lei Rouanet. Apoio Cultural da Prefeitura de Porto Velho, através da SEMA

Previous Israelitas consagram Cineamazônia em Mategua
Next Remanso marca despedida de Cineamazônia da fronteira boliviana

Você também pode gostar

Cineamazonia Itinerante – 16ª Edição: cinema e arte para a Amazônia

  A 16ª Edição do Cineamazonia Itinerante, mais do que levar cinema e arte a populações ribeirinhas do Vale do Guaporé, uniu pessoas, trocou conhecimentos, registrou de forma amorosa os

“Brincando Nos Campos do Senhor”

Texto e Fotos de Toninho Muricy, Diretor de Som do Cineamazonia Itinerante 16ª Edição   O nome do filme de Hector Babenco e do livro homônimo de Peter Matthiessen, é

PUERTO MALDONADO FOI A ULTIMA CIDADE PERUANA A RECEBER O FESTIVAL DE ARTES INTEGRADAS, NESTA ETAPA DA ITINERÂNCIA

Pelo 5º ano consecutivo a cidade de Puerto  Maldonado recebe a caravana do Festival de Artes Integradas- o Festcineamazonia Itinerante,e mais uma vez a integração cultural com os povos latino