FESTCINEAMAZÔNIA ITINERANTE EM PORTUGAL

FESTCINEAMAZÔNIA ITINERANTE EM PORTUGAL

Festival de cinema e vídeo documental da Amazônia abre ciclo de debates em Coimbra, Portugal

Das margens do Madeira, para a beira do rio Mondego. O Festcineamazônia itinerante começou sua volta por países da língua portuguesa em Coimbra, Portugal, entre os dias 25 e 26 de março. O festival exibiu 15 documentários sobre diferentes questões, mas todos ligadosao tema central: a Amazônia. No palco do belo teatro da cerda de São Bernardo, vieram moradores, estudantes e professores.

Na abertura das sessões de cada um dos dois dias do festival, o cantor e poeta Eliakin Araújo apresentou um show de música e leitura de poesias, também com a temática ambiental e a Amazônia, sua terra natal. No dia 26, Araújo, que é professor da Universidade de Roraima foi recebido por uma dezena de alunos de Roraima, seu estado, na plateia, que vieram ouvir as músicas do “Roraimera”, movimento artístico do estado. Em homenagem, cantou uma música sobre a farinha de mandioca, que todos que vivem longe do Brasil sentem falta.

A semana, como um todo, foi movimentada em Coimbra, sede da mais respeitada universidade de língua portuguesa, e uma das mais antigas do mundo. O Festcineamazônia serviu para aquecer um intenso debate que se seguiu no colóquio As Lutas Pela Amazónia no Início do Milénio | Colóquio Internacional, presidido por Boaventura de Sousa Santos, um dos mais importantes intelectuais da atualidade. Na abertura do evento, Fernanda Kopanakis, uma das organizadoras do Festcineamazônia, disse que “o documentário pode contribuir para o debate sobre a Amazônia, aproximando o público da realidade da vida na floresta”. Presente na mesa, Santos colocou que a academia, ao memso tempo, deve estar preparada para se abrir para um público maior.

“Os filmes apresentados abordam temas que também discutem as Lutas Pela Amazônia”, explicou Kopanakis. Questões sobre a violência, como Toxci: Amazon, de Bernardo Loyola e Felipe Milanez, sobre o assassinato do casal de ambientalistas, Zé Cláudio e Maria, ano passado, no Pará, e Corumbiara, um clássico de Vicent Carelli sobre o genocídio de índios em Rondônia, foram apresentados, assim como Soldados da Borracha, sobre os trabalhadores nos seringais, e Piaraçu, sobre a polêmica barragem de Belo Monte, que está sendo construída no rio Xingu. Felipe Milanez veio a Coimbra, convidado pelo festival e pela Universidade, para falar na abertura do filme e participar de um debate com o público.

Essa é a terceira vez que o Festcineamazônia se apresenta em Portugal. Nas outras duas ocasiões, uma em évora, outra, em Coimbra, também trouxe o tema da Amazônia para o debate. O festival segue para Cabo Verde, onde realiza novas sessões de filmes documentais sobre a Amazônia, também acompanhados do poeta e cantor Eliakin Araújo.

O Festcineamazonia Itinerante 2012 tem o patrocinio do BNDES, Governo Federal através da lei Rouanet, Ministerio da Cultura, Secretaria do Audiovisual, apoio cultural da Universidade de Coimbra e CES – Centro de Estudos Sociais.

Você também pode gostar

EXPEDIÇÃO FESTCINEAMAZÔNIA LEVA MÚSICA, P...

“Estou esperando o calor tropical que ainda não veio”. Em tom de brincadeira o escritor português José Luís Peixoto reclamava da baixa temperatura de frios cortantes na cidade boliviana de

GUAJARÁ MIRIM É O PONTO DE PARTIDA DA ITINE...

Com uma população de mais de 40 mil habitantes e um dos municípios de maior atrativo turístico e histórico de Rondônia, Guajará Mirim será o primeiro a receber a etapa

A HORA E A VEZ DO GUAPORÉ

FestcineAmazônia Itinerante percorre Brasil e Bolivia levando cinema, música e circo a comunidades tradicionais Por Ismael Machado Foto de Hubert Hayuad   Há rios que separam e rios que unem.

0 Comments

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!