CINEAMAZÔNIA PREMIA OS VENCEDORES DA MOSTRA COMPETITIVA

CINEAMAZÔNIA PREMIA OS VENCEDORES DA MOSTRA COMPETITIVA

Encerramento teve produções de Pernambuco e de Piauí como grandes vencedores

Depois de cinco dias de programação com sessões de cinema em terreiros, campo de futebol, circo e o Mercado Cultural e a exibição de trinta e cinco filmes, de sete países (incluindo o Brasil), na mostra competitiva, o Festcineamazônia chegou ao fim neste sábado (10). O encerramento foi em grande estilo, com a apresentação dos vencedores da mostra competitiva no Teatro Sesc Esplanada.
Com auditório lotado, o público soube os vencedores da mostra competitiva. A categoria longa-metragem, mereceu destaque especial. Foi a primeira vez que o Festcineamazônia ofereceu o troféu Mapinguari à categoria. A produção pernambucana “Mães do Pina”, do diretor Léo Falcão, foi a grande vencedora, levando também os prêmios de melhor roteiro, melhor fotografia e linguagem na categoria.
Mas antes, foram apresentados os vencedores da categoria de curtas e médias metragens. A grande vencedora da noite foi a produção “O Forasteiro”, de Diogo Cronemberger, do Piauí, que levou os prêmios de melhor ficção, melhor filme curta-metragem, melhor fotografia e melhor ator, este último graças ao personagem interpretado por Arthur Canavarro.
A melhor animação foi para “Castillo Y El Armado”, do diretor Pedro Harres (RS). Entre os curtas experimentais, “Entrecorpos”, de Gustavo Raulino (SP). Ainda na categoria curtas e médias metragens, o prêmio de melhor Roteiro foi para a animação “Até a China”, do diretor Marão (RJ). O prêmio de Melhor Montagem, foi para “Lucha Azteca!”, de São Paulo, que também ganhou o de melhor documentário.
A melhor trilha sonora ficou para o curta alemão “Aggregat”, de Helene Tragesser. Josy Reis, do filme “Sandrine”, dos diretores Elen Linth e Leandro Rodrigues (AM), foi escolhida a melhor atriz. Já o prêmio do juri popular foi para o curta “[R]existo”, produzido pelo diretor rondoniense Joesér Alvarez. O festival também ofereceu uma menção honrosa a Chrystiann Ritse, coordenador e diretor do projeto “Animando Na Amazônia”.
O Festcineamazônia 2015 tem o patrocínio do BNDES, Petrobras, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Lei Rouanet, apoio cultural da Prefeitura de Porto Velho, Funcultural, Governo de Rondônia através da SEJUCEL, Sesc Rondônia, Iphan. O Festcineamazonia é membro do Greenfilm Network e do Fórum dos Festivais.

Curtas e médias metragens

Prêmio Major Reis: melhor animação:

“Castillo y el armado”, direção de Pedro Harres (RS)

Prêmio Vitor Hugo: melhor ficção:

“O Forasteiro”, direção Diogo Cronemberger (PI)

Prêmio Manoel Rodrigues Ferreira: melhor experimental:

“Entrecorpos”, direção de Gustavo Raulino (SP)

Prêmio Chico Mendes: melhor roteiro

Roterista Marão, da animação “Até a China” (RJ)

Prêmio Marina Silva: Melhor montagem

Caio d’andrea, do documentário: “Lucha, Azteca!” (SP)

Prêmio Povos Indígenas de Rondônia: Melhor trilha sonora:

Michael Tuttle da animaçao “Aggregat” com direção de Helene Tragesser, Alemanha

Prêmio Silvino Santos: Melhor Fotografia

Fotografo danilo do valle, do filme “O Forasteiro” (PI)

Prêmio capô (Maurice Capovilla): Linguagem

“Castillo y el armado”, direção de Pedro Harres (RS)

Prêmio para Melhor Ator:

Arthur Canavarro, do filme “O Forasteiro”, de Diogo Cronemberger (PI)

Prêmio Melhor Atriz

Josy reis, do filme sandrine, direção de Elen Linth e Leandro Rodrigues (AM)

Prêmio Lídio Sohn – melhor produção rondoniense:

“Prova de Recuperação”, direção de Hugo Martinez Rodrigues,

Prêmio melhor direção:

“O Forasteiro” direção de Diogo Cronemberger (PI)

Júri popular: Prêmio Thiago de Mello – Troféu Esperança:

[R]Existo!, direção de Joesér Alvarez (RO)

Prêmio melhor documentário:

“Lucha, Azteca!” Direção de Caio D’andrea (SP)

Prêmio para melhor filme curta metragem:

“O Forasteiro”, de Diogo Cronemberger (PI)

Prêmio para melhor longa-metragem

“Mães do Pina”, direção de Leo Falcão (PE)

Melhor roteiro (longa-metragem)

“Mães do Pina”, Direção de Leo Falcão (PE)

Melhor Fotografia (longa-metragem)

“Mães do Pina”, Direção de Leo Falcão (PE)

Melhor linguagem

“Mães do Pina”, Direção de Leo Falcão (PE)

O corpo de jurados concede, a menção honrosa ao diretor Christian Ritse pelo desenvolvimento das produções “Animando a Amazônia”

Os jurados concedem ainda aos longas metragem, os prêmios especiais:

Melhor montagem para: Ricardo E. Machado do filme “Gastronomia Urbana”, (PR).

Melhor direção (Longa-metragem):

Caio Cavenchini e Carlos Juliano Barros, pelo filme “Jaci, sete pecados de uma obra amazônica” (SP).

O Festcineamazônia 2015 tem o patrocínio do BNDES, Petrobras, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Lei Rouanet, apoio cultural da Prefeitura de Porto Velho, Funcultural, Governo de Rondônia através da SEJUCEL, Sesc Rondônia, Iphan. O Festcineamazonia é membro do Greenfilm Network e do Fórum dos Festivais.

Previous O fim da Amazônia
Next PENÚLTIMO DIA DO FESTCINEAMAZÔNIA TEM DEBATE E FILME EM TERREIRO

Você também pode gostar

Comunidade Quilombola Santo Antônio Recebe Itinerância

Local cuja presença do Cineamazônia Itinerante também recebeu uma acolhida calorosa foi a comunidade quilombola de Santo Antonio.  Um dos líderes da comunidade, Roberto Lopes, 37 anos, destacou a importância

Oficina de pinhole consagra primórdios da fotografia no Cineamazônia

Texto: Ismael Machado e Michelle Maia Fotos: Zeca Ribeiro Edição: Lui Machado O terceiro dia de programação do Cineamazônia Itinerante 2016 mostrou, de forma simples, mas efetiva, a importância do

Veja a programação completa da mostra competitiva do Cineamazônia 2016

Documentários, animações, ficções, filmes experimentais… Quem for ao Teatro Banzeiros entre os dias 22 e 26 de novembro para o Cineamazônia encontrará um pouco de tudo. Nesta 14a edição do Festival