Cineamazônia Itinerante passa por Capixaba (AC) e chega a Nova Califórnia (RO)

Após as atividades em Assis Brasil e Iñapari, no Peru, o Cineamazônia Itinerante foi até o segundo e último município acreano previsto no roteiro do projeto: Capixaba, distante mais de 80 quilômetros da capital Rio Branco.

A cidade com pouco mais de 8 mil habitantes ficou eufórica ao saber da chegada da caravana do Cineamazônia, no meio da tarde do sábado (05). O local escolhido para a projeção dos filmes e a apresentação circense do palhaço Cloro (artista argentino Daniel Gamarra) foi o calçadão, que fica na principal via do município.

Foram exibidos pelo menos 11 filmes, entre eles, O Mal (animação do Paraná, com direção de Carlon Hardt), Aubade (direção de Mauro Carraro, da Suíça) e outros nove títulos premiados (curtas metragens) durante a Mostra Competitiva do ano passado, entre animações, ficções e documentários brasileiros e de outros países como a Venezuela.

Uma das pessoas que ficou agradecida pela presença do projeto itinerante pela terceira vez em Capixaba foi a professora aposentada Rosaura Bandeira. Ela foi personagem de uma atividade do Cineamazônia: Imagens da Memória, que coloca os depoimentos dos moradores mais antigos de cada cidade em uma exibição especial antes das projeções. “Nossa cidade é muito carente de diversões como o cinema. Então, isso só vem somar para a educação e cultura do nosso povo. A apresentação do palhaço divertiu crianças e adultos. Eu gostei muito e espero que vocês retornem mais vezes”, apontou ela.

Quem também levou toda a família foi a dona de casa, Alcione Silva. “É muito difícil virem essas coisas pra cá, então, a gente aproveita. Foi muito legal e espero que vocês voltem logo”, disse ela, que levou o marido e o filho, João, de sete anos.

A coordenadora do Cineamazônia, Fernanda Kopanakis, fez uma rápida avaliação do começo das atividades do projeto. “Tivemos um grande público em Iñapari, no Peru, e em Assis Brasil. Esta é a terceira vez que passamos por Capixaba e somos muito bem acolhidos pelo público. É ótimo vir aqui e ter essa presença”, destacou ela.

Após a apresentação das produções cinematográficas, houve a participação especial do palhaço Cloro, representado pelo artista argentino Diego Gamarra.

Nova Califórnia

O distrito de Nova Califórnia, distante cerca de 480 quilômetros de Porto Velho e com quase 4 mil habitantes, recebeu a caravana do Cineamazônia Itinerante na noite do domingo (06), próximo a escola Maria Jacira.

Muitas crianças e suas famílias compareceram para assistir as produções cinematográficas e mais uma apresentação do palhaço Cloro. “A gente é muito carente dessas atividades envolvendo cultura e diversão. Quando soubemos que vocês estavam aqui, ficamos cheios de expectativa. Pena que vocês só vêm uma vez por ano. Seria muito melhor se viessem de seis em seis meses ou a cada três meses”, vibrou Salete Gomes Bernardo, mãe da pequena Ana Letícia, de apenas seis anos.

Texto: Felipe Corona

Fotos: Beethoven Delano

Previous Cineamazônia anima público de Assis Brasil (AC) e Iñapari, no Peru
Next Cineamazônia encerra inscrições para Mostra Competitiva em uma semana

Você também pode gostar

Tom político e social marca abertura do Cineamazônia 2016

Festival rondoniense lembra aumento da violência agrária no estado em homenagem a liderança comunitária assassinada por pistoleiros A noite de abertura da edição 2016 do Cineamazônia manteve a tradição do

16ª Edição da Mostra Competitiva do Cineamazônia recebe centenas de filmes

As inscrições para a pré-seleção de filmes da 16ª Edição da Mostra Competitiva do Cineamazônia – Festival Latino Americano de Cinema Ambiental, encerradas na sexta, dia 28 de setembro, recebeu

EXTREMA

Após 70 quilometros em uma tranquila estrada de asfalto em direção ao Acre, saímos de Vista Alegre e chegamos a Extrema. Localizada ainda mais na extremidade do estado, Extrema vive,