Cineamazônia inicia itinerância tendo o rio Guaporé como destino

Esse rio é minha rua, piso no peito da lua, deito no chão da maré. Os versos de Paulo André e Rui Barata, compositores paraenses, traduzem com perfeição os caminhos de rio que serão feitos pela itinerância do Cineamazônia a partir desta quarta-feira, 13.

ZRO_7375

É o rio Guaporé quem direcionará a maior parte do trajeto da segunda fase do Cineamazônia, com a exibição de filmes, apresentações circenses, poesia com Matias Mendes e oficinas ligadas a técnicas visuais. Enquanto o videomaker Christyan Ritse realizará filmes de animação na técnica em Pixilation para crianças das comunidades ribeirinhas e quilombolas, a fotógrafa Bete Bullara ministrará oficinas de pinhole, ou a fotografia do buraco da agulha, mostrando a crianças a técnica primordial da fotografia.

A caravana cultural se estenderá até o dia 2 de agosto. Dezoitos locais, entre municípios, pequenas comunidades ribeirinhas e quilombolas, reservas extrativistas, tanto do lado brasileiro como do lado boliviano.

 

As primeiras apresentações serão feitas ainda sob o domínio das estradas, como ocorreu na primeira etapa da itinerância, entre distritos rondonienses, acreanos e peruanos. A primeira parada será na Resex Rio Ouro Preto.

A Reserva Extrativista Rio Ouro Preto foi umas das quatro primeiras unidades de uso sustentável a serem criadas no Brasil. Está localizada nos municípios de Guajará-Mirim e Nova Mamoré, em Rondônia e integra o maior bloco de área protegida do Estado.

Será a primeira oportunidade para a dupla de palhaços integrantes da Trupe Koskowisck, um grupo de atores-palhaços que desenvolvem um trabalho e pesquisa em Teatro de Rua, Circo e Circo-Teatro. Formado por Geise Helena e  Alexandre Malhone, o grupo nasceu em 2006 desenvolvendo nas ruas, cenas a partir de improvisos.

Chiquita-e-Cotonete-por-Junior-Franzin.2jpgDurante a apresentação, dois atrapalhados palhaços disputam a atenção da plateia numa competição na qual são bem vindos todos os tipos de artimanhas e armadilhas criando no espectador o desejo de torcer por um deles.

Depois da Resex, o caminho ainda será pelas estradas, com o distrito de Iata abrigando o segundo dia da programação. É só depois da divisão fronteiriça de Guajará-Mirim e Guayaramerim que o rio Guaporé determinará os caminhos da caravana cultural.

 

Serão alternados municípios e localidades rondonienses e bolivianas. San Lorenzo no dia 18 e Surpresa, no dia 19, são os dois primeiros locais banhados pelo rio Guaporé que irão receber o Cineamazônia Itinerante. San Lorenzo é uma pequena comunidade boliviana. Já Surpresa faz parte do lado brasileiro do rio Guaporé.

Além de Guayaramerim, mais seis comunidades bolivianas acolherão o Cineamazônia Itinerante. San Lorenzo, Buena Vista, Versalhes, Mateguá, Cafetal e Remanso.

Do lado brasileiro há desde municípios maiores como Costa Marques e Guajará-Mirim até pequenas comunidades quilombolas como Santo Antonio e Pedras Negras.

Em comum todas reconhecem a importância do Cineamazônia Itinerante. Tanto que a cada ano, as sessões ao ar livre são lotadas. As crianças, principalmente, divertem-se sempre com as estripulias circenses e com os curta-metragens exibidos.

Esse ano também serão produzidos vídeos de moradores mais antigos das comunidades, integrando o mais recente projeto do Cineamazônia, o Museus Vivos.

Concebido por Ismael Machado, Fernanda Kopanakis e Jurandir Costa, o projeto visa registrar a história oral das comunidades por intermédio de seus protagonistas, os moradores pioneiros ou mais antigos.

Com a direção de Lui Machado e Ismael Machado nessa etapa da itinerância, o projeto mostra que o Cineamazônia tem cada vez mais um papel fundamental no registro de um tempo na Amazônia que pode se perder.

Cineamazonia, 14a EDIÇÃO, tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Lei Rouanet. Apoio Cultural da Prefeitura de Porto Velho, através da SEMA.

CONTATOS:
Lui Machado: (27) 98101-4600
Ismael Machado: (21) 97441-0771

Previous Prorrogado o período de inscrições de filmes para o Cineamazônia
Next A PRIMEIRA VEZ NÃO SERÁ ESQUECIDA

Você também pode gostar

Animação e cinema chegam a Versalles

Depois do município rondoniense de Costa Marques, Versalhes recebeu a itinerância do Cineamazônia. Localidade boliviana formada por muitas casas com telhado de palha, teve como personagem do projeto Museus Vivos,

Cineamazônia Itinerante faz exibição de filmes às escuras em Rio Pardo

Após percorrer 105 quilômetros que separam Jacy-Paraná de Rio Pardo, a caravana do Cineamazônia Itinerante chegou no início da tarde do domingo (13), ao distrito de Rio Pardo, que pertence

Cineamazônia 17ª Edição divulga lista de filmes selecionados

A produção do Cineamazônia – Festival de Cinema Ambiental, divulga a lista dos filmes selecionados para a 17ª Edição, que acontece de 1 a 5 de dezembro de 2020, de