Troféu Mapinguari – Confira os filmes premiados no Cineamazônia 17ª Edição

Realizado de forma online e com acesso totalmente gratuito entre os dias 1 e 5 de dezembro, o Cineamazônia 17ª Edição divulgou, na noite de sábado, 5, a lista das produções premiadas com o Troféu Mapinguari, entre 41 curtas e médias e os seis longas documentários selecionados para esta edição.

Duas comissões de jurados foram compostas para analisar os filmes. Para os curtas e médias o júri foi formado por Gonzalo Lamela, Solange Alboreda, Tetê Mattos, Juliano José e Zienhe Castro. Para os seis longas documentários que concorreram ao Troféu Mapinguari – Prêmio SIlvino Santos, o corpo de jurados foi formado por Márcio Souza, Ivana Bentes, Lucila Meireles, Ronald Teixeira e Rejane Zilles.

Confira todos os agraciados com o Troféu Mapinguari:

Troféu Mapinguari – Prêmio Melhor Atriz: Isabela Catão, do filme O Barco e o Rio, onde a atriz  interpreta Vera, uma mulher conservadora que vê no patrimônio toda a vida dela, passando os dias transportando mercadorias e passageiros. Direção de Bernardo Ale Abinader, Curta Metragem – 17m. 2020 – 14 anos  – Manaus – AM

Troféu Mapinguari – Prêmio Melhor Ator: Juan Calado, do filme Nova Iorque, onde o jovem ator interpreta Leandro, aluno de uma escola pública do agreste de Pernambuco. Uma criança dividida entre a aspereza da relação com a madrasta e o carinho maternal que nutre pela professora. Leandro sonha em reencontrar a sua mãe que partiu com os irmãos mais velhos. Direção de Leo Tabosa – Ficção – Curta – 24m. – 2018 – Livre – Direção de Leo Tabosa – Recife – PE

Troféu Mapinguari – Prêmio Melhor Direção: O Barco e o Rio – Direção de Bernardo Ale Abinader – Curta Metragem – 17m. 2020 – 14 anos – Manaus – AM

Troféu Mapinguari – Prêmio Melhor Montagem: Mamapara – Montagem de Mario Manríquez e Alberto Flores Vilca – Documentário – Curta – 17m. – 2020 – Livre – Direção de Alberto Flores Vilca – Peru – Argentina – Bolívia

Troféu Mapinguari – Prêmio Melhor Fotografia: Mamapara – Fotografia: Alberto Flores Vilca – Documentário – Curta – 17m. – 2020 – Livre – Direção de Alberto Flores Vilca – Peru – Argentina – Bolívia

Troféu Mapinguari – Prêmio Melhor Trilha Sonora: Sudestino(s) – Trilha Sonora: Thiago Almeida – Documentário – Curta – 20m. – 2017 – Livre – Direção de Germano de Sousa – Fortaleza – CE

Troféu Mapinguari – Prêmio Melhor Roteiro: Próxima – Roteiro: Maya Guizzo – Ficção – Curta – 15m. – 2017 – Livre – DIreção de Luisa Campos – São Paulo – SP

Troféu Mapinguari – Prêmio Melhor Experimental: Boom Bust – Direção de Wobbe F. Koning – Curta – 2m. – 2018 – Livre – West Orange – New Jersey – EUA –

Explosões de objetos de forma irregular são unidas por elementos enferrujados que se adaptam melhor ao ambiente desgastado. Objetos pontiagudos brotam e giram, juntando-se a uma cacofonia rítmica crescente, até que todo o sistema é paralisado. Manifestações físicas impressas em 3D de objetos virtuais simulados são revitalizadas por meio de fotografia em stop motion.

Produção, Roteiro, Música Original, Montagem, Fotografia e Som: Wobbe F. Koning

Troféu Mapinguari – Prêmio Melhor Ficção: O Barco e o Rio – Direção de Bernardo Ale Abinader – Curta Metragem – 17m. 2020 – 14 anos – Manaus – AM

Vera é uma mulher religiosa que cuida de uma embarcação no porto de Manaus. Ela precisa lidar com a irmã, Josi, com quem diverge em relação a como lidar com o barco e sobre como viver a vida.

Produção: Hamyle Nobre e Keila Serruya; Elenco: Isabela Catão, Carolinne Nunes, Márcia Vinagre, Diego Bauer; Roteiro: Bernardo Ale Abinader; Música Original: Heverson Batista; Montagem: César Nogueira; Fotografia:Valentina Ricardo; Som:Heverson Batista

Troféu Mapinguari – Prêmio Melhor Documentário: Quentura – Direção de: Mari Corrêa – Média – 36m. – 2018 – Livre – São Paulo – SP

De suas roças, casas e quintais, as mulheres indígenas da Amazônia nos envolvem em seu vasto universo de conhecimentos ao mesmo tempo em que observam os impactos das mudanças climáticas nos seus modos de vida.

Produção: Patrícia Zuppi; Montagem: Mari Corrêa; Fotografia: Vinícius Araújo Berger e Fábio Nascimento

Troféu Mapinguari – Prêmio Melhor Animação: A História de Zahy. Zahy Ze´Eg Awer – Direção de Otoniel Oliveira – Curta – 8m. – 2017 – Livre – Belém – PA

A História de Zahy conta o mito da criação da Lua segundo a sociedade indígena Tembé-Tenetehara. Zahy é um valente guerreiro enviado pelo deus indígena Mahyra para fazer muitas coisas boas mas, por ser orgulhoso, decide fazer algo proibido na aldeia. Ao ser descoberto, Zahy terá de enfrentar consequências irreversíveis. Narrado em Tupi-Tenetehara.

Produção: Lara Lages; Elenco: Kuzã Tembé; Roteiro: Ivânia Neves e Kuzã Tembé; Música Original: Leonardo Venturiere e Tembé-Tenetehara; Montagem: Marcus Vinícius de Oliveira; Som: Marcus Vinícius de Oliveira

Troféu Mapinguari – Menção Honrosa: Iara – Direção de Cássio Pereira dos Santos e Erika Pereira dos Santos – Ficção – Curta – 16m. – 2018 – Livre – Uberlândia – MG

Bárbara (31) vive com a filha Diana (6) no interior de Minas Gerais. Quando chega o final de semana, mãe e filha pegam a estrada e fazem um piquenique às margens de uma represa. Aos poucos, o que parece um passeio qualquer revela-se um reencontro delicado. Um cotidiano perdido tenta se reconstruir no silêncio da mata.

Produção: Campo Cerrado Produções e Serviços Audiovisuais Ltda; Elenco: Erika Santos, Camila Delfino, Giovana Cordeiro; Roteiro: Cássio Pereira dos Santos; Música Original: Francisco Craesmeyer; Montagem: Irene Berthachini; Fotografia: Leonardo Feliciano; Som: Francisco Craesmeyer

Troféu Mapinguari – Menção Honrosa: Se o Mundo Girasse ao Contrário – Direção de Leonardo Martinelli – Ficção – Curta – 5m. – 2018 – Livre – Rio de Janeiro – RJ

Em um mundo distópico onde todas as coisas acontecem em reverso, um homem deixa uma mensagem para sua amada.

Produção: Tais Barsan, Leonardo Martinelli, Diego Santalme; Elenco: Marcelo Boldrini, Mariana Cysne; Roteiro: Arthur Valverde e Leonardo Martinelli; Montagem: Gabriel Voltz; Fotografia: Gabriel Falcão; Som: Gabriel Voltz

Troféu Mapinguari – Prêmio Melhor Produção Amazônica: O Barco e o Rio – Direção de Bernardo Ale Abinader – Curta Metragem – 17m. 2020 – 14 anos  – Manaus – AM

Troféu Mapinguari – Prêmio Silvino Santos Melhor Longa Documentário: Nheengatu – Direção: José Barahona – 114 m. – 2020 – Livre – Brasil – Portugal

Ao longo de uma viagem no alto Rio Negro, na Amazônia profunda, o diretor busca uma língua imposta aos índios pelos antigos colonizadores. Através desta língua misturada, o Nheengatu, e dividindo a filmagem com a população local, o filme se constrói no encontro de dois mundos.

Produção: Carolina Dias (Refinaria Filmes) / Fernando Vendrell (David & Golias); Roteiro: José Barahona; Música Original: Clower Curtis; Montagem: Jordana Berg; Fotografia: Mário Franca; Som: Guilherme Algarve

Troféu Mapinguari – Homenageada 2020 – Cinemateca Brasileira – Foi exibido o filme Amantes do Cinema Brasileiro – Direção de Ricardo Dias – Longa, 53m. – 2003 – São Paulo – SP

Longa Documentário, produzido em 2003, apresenta o amor pelo Cinema Brasileiro, com depoimentos de cineastas e artistas sobre a importância da Cinemateca Brasileira em suas vidas e para a Cultura Brasileira. Apresentado por Raul Cortez, conta com depoimentos de Hector Babenco, Renata Fronzi, Domingos Oliveira, Carlos Manga, Paulo Cezar Saraceni, Iris Bruzzi, Rogéria, Gustavo Dahl, Anselmo Duarte, Rubens Ewald Filho, Hugo Carvana, José Wilker, Lauro Escorel e outros artistas.

Assista ao vídeo de Premiação do Troféu Mapinguari em nosso canal

Cineamazônia – Festival de Cinema Ambiental 17ª Edição – A Natureza não pode não pode sair de cena.

Realização: Acapulco Filmes

Apoio Cultural: FRAM – Fundação Rede Amazônica @fundacaoredeam

Acompanhe as nossas redes sociais – YoutubeInstagramFacebook 

______________________________________

Cineamazônia – Festival de Cinema Ambiental

 

 

Previous Participe do Cineamazônia 17ª Edição - Online e Gratuito

Você também pode gostar

Filmes e alegria marcam Cinema no Circo do Cineamazônia em Candeias do Jamari

Foram 13 filmes exibidos, muitas brincadeiras e alegrias proporcionadas pela palhaça Tetéia. Assim foi o resumo do Cinema no Circo, primeira atividade da 15ª edição do Festival Latino Americano de

Poesia pisando no real

Realizadores discutem poesia no Cineamazônia Atitude. Generosidade. Fim da intolerância racial. Além da poesia, cada vez mais necessária, são de coisas assim que o mundo precisa. Foi o que defenderam

Guayaramerín lota exibição do Cineamazônia Itinerante na cidade

A noite da sexta-feira (25) foi especial para o Cineamazônia Itinerante: o projeto fez sua atividade na cidade boliviana de Guayaramerín, que faz fronteira com Guajará-Mirim, separadas apenas pelo Rio